Arquivo mensal: abril 2016

Homem sufoca e mata filha de 2 anos por “ter partida de vídeo game interrompida”

Do R7

De acordo com a polícia, a menina morreu quando Sanders colocou a mão sobre sua boca e a asfixiouReprodução/ Daily Mail

Um homem do Estado norte-americano do Texas sufocou e matou a própria filha, de apenas dois anos, em um “acesso de fúria”, depois que ela interrompeu seu jogo de vídeo game, de acordo com a polícia.

Anthony Michael Sanders, de 31 anos, é acusado de ter matado a pequena Ellie Sanders em 12 de dezembro, enquanto a mãe da criança havia saído para visitar uma mostra de arte.

Quando a mãe voltou para casa, por volta das 20h30, Sanders disse que a pequena estava dormindo. No entanto, 30 minutos depois, o irmãozinho de cinco anos de idade de Ellie descobriu que sua irmã não estava acordando.

Ellie foi declarada morta no hospital às 22:10. Os médicos encontraram hematomas em seu corpo que indicam que a pequena foi agredida — incluindo marcas ao redor dos olhos, sangue atrás de uma orelha e marcas de mordida que podem ter vindo de um ser humano adulto.

De acordo com a polícia, a menina morreu quando Sanders colocou a mão sobre sua boca e a asfixiou.

Segundo um porta-voz das autoridades, o crime teria sido motivado por “um acesso de raiva”.

— Ele é muito envolvido em jogos de computador. Ela pode ter interrompido ele de alguma forma.

Sanders nega as acusações.

Polícia investiga mãe que aparece em vídeo batendo no filho de 2 anos para chantagear ex-marido

Criança se protege das agressões cometidas pela mãe como forma de vingança sobre o ex-marido.
Criança se protege das agressões cometidas pela mãe como forma de vingança sobre o ex-marido. Foto: Reprodução
Extra

A polícia de Rostov-On-Don, na Rússia, investiga um vídeo em que uma mulher aparece batendo em seu filho de 2 anos como forma de punir e chantagear o marido, que saiu de casa recentemente, abandonando-os.

Identificada apenas pelo nome de Tatiana, as cenas teriam sido gravadas pela mesma em sua casa. No registro, ela agride o menino, enquanto este chora e tenta se proteger escondendo o rosto. De acordo com a imprensa local, a mulher teria entrado em desespero ao receber do marido o pedido de divórcio. Um parente de Tatiana, cujo nome não foi revelado, disse a um jornal da cidade que ela gravou vários vídeos para chantagear o companheiro, tendo enviado-os também para a irmã do rapaz.

Além da polícia, promotores também acompanham a investigação. Ainda de acordo com a mídia do país, a criança estaria muito traumatizada com o tratamento recebido pela mãe e sua guarda estaria sendo compatilhada pela tia e avó paternas.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/policia-investiga-mae-que-aparece-em-video-batendo-no-filho-de-2-anos-para-chantagear-ex-marido-19077424.html#ixzz45tmMEALC

Mulher é condenada por matar filha de 2 meses em hotel e esconder o corpo

Federica Boscolo-Gnolo confessou ter matado a filha de 2 meses
Federica Boscolo-Gnolo confessou ter matado a filha de 2 meses Foto: Divulgação/ Metropolitan Police
Extra
Federica Boscolo-Gnolo, de 32 anos, foi condenada nesta quarta-feira a ficar internada num hospital psiquiátrico por matar seu bebê num quarto de hotel em Londres e jogar o corpo da criança em uma lixeira. Segundo a Polícia Metropolitana, Frederica admitiu, no julgamento, ter matado a filha. Ela é cidadã italiana de Chioggia e, inicialmente, afirmou para a polícia que a menina tinha sido raptada do hotel onde estava hospedada.

A mulher se mudou para Londres em 2013, mas não tinha residência fixa. Ela se hospedou no Hotel Lily, perto de Earls Court, em 24 de janeiro deste ano. Ela foi vista entrando com a filha de 2 meses, chamada Farah, e alguns pertences no local. Contudo, saiu do hotel sem a menina, antes de falar com os pais da Itália. Segundo a polícia, eles estavam preocupados com sua filha e com o bem-estar da neta e, por isso, foram para Londres cinco dias após o crime.

Os pais levaram Frederica para a delegacia de Hammersmith para denunciar o desaparecimento do bebê, mas os detetives prenderam a mãe mais tarde, no mesmo dia. Apesar das extensas pesquisas no hotel e no depósito de lixo, o corpo de Farah nunca foi localizado.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/mulher-condenada-por-matar-filha-de-2-meses-em-hotel-esconder-corpo-19074196.html#ixzz45tlu1DRt

Menina de 17 anos denuncia o próprio pai pelos abusos sofridos na infância: “Papai, te odeio”

A argentina Micaela foi abusada pelo próprio pai durante 12 anos (Foto: Reprodução Facebook)A argentina Micaela foi abusada pelo próprio pai durante 12 anos (Foto: Reprodução Facebook)

Mais de 80% dos abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes acontecem dentro de casa. E mais de 50% dos casos denunciados têm como abusador o próprio pai. Os dados são da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) e retratam uma chocante realidade, que acaba de ser relatada por uma adolescente argentina de 17 anos. Micaela recorreu ao Facebook para tornar pública sua história e ajudar quem passa pela mesma situação.

Na página intitulada “Por Uma Infancia Sin Dolor” (“Por uma infância sem dor”), que já soma mais de 80 mil seguidores, ela conta ter sido abusada desde os quatro anos de idade pelo próprio pai. Em posts tocantes, dá detalhes dos episódios de violência e ainda manda recados ao estuprador.

No texto “Papai, te odeio”, a menina não hesita em expressar toda sua raiva: “Papai, que lê tudo que eu publico aqui, espero que também leia isto. O senhor e seu advogado merecem cair no mesmo inferno. Tomara que não consiga dormir nem hoje, nem nunca mais em paz. Lembre-se da minha voz infantil dizendo para me deixar em paz. Espero que isto lhe tire o sono”. E com frequência, compartilha ainda frases que costumava ouvir do abusador: “Tranquila… se você se mexer é pior”, “Quanto mais resistir, mais vai doer” e “Estamos só brincando”. “Meu pai, enquanto abusada de mim”, explica ao fim de cada uma.

"Quanto mais resistir, mais vai doer" - Meu pai, quando abusava de mim (Foto: Reprodução Facebook)“Quanto mais resistir, mais vai doer” – Meu pai, quando abusava de mim (Foto: Reprodução Facebook)

 Em entrevista ao jornal “Crónica”, Micaela conta sobre a abordagem do progenitor: “Entrava no meu quarto, fechava a porta, me acariciava e me tocava. Até me fazia participar de chats pornográficos quando tinha 7 ou 8 anos.”

Os abusos foram descobertos no ano passado, 12 anos depois, pelos orientadores pedagógicos de Micaela, que notaram um comportamento fora do comum por parte da menina na escola. Pouco depois, ela e sua mãe deixaram a casa onde viviam em Buenos Aires e denunciaram o abusador, que ela chama de “assassino de almas”.  A mãe, que hoje a acompanha nas sessões de terapia, descobriu tarde a história e não deseja ver o rapaz atrás das grades. “Tenho um irmão de sete anos e ela não trabalha. Então, não quer que ele vá para a cadeia para que continue recebendo a pensão”, explicou ao jornal.

"Tranquila... se você se mexer é pior" - Meu pai, quando abusava de mim (Foto: Reprodução Facebook)“Tranquila… se você se mexer é pior” – Meu pai, quando abusava de mim (Foto: Reprodução Facebook)
No texto de apresentação publicado na rede social, ela revela ter sentido medo de expor a história, mas decidiu vencê-lo para poder ajudar outras meninas e meninos. Inclusive, não esconde seu próprio rosto. “Tinha medo de ser julgada, mas agora não”, escreveu. “Com 17 anos não posso ajudar como gostaria, só posso dizer a todos os sobreviventes que NÃO se calem. Me custou muito entender, mas nós não temos culpa e a vergonha deve cair sobre o agressor. Por isto mostro minha cara e digo a todos que, caso saibam de algo, não olhem para o outro lado.”

E ainda acrescentou: “Ao meu progenitor, que abusou de mim por anos, quantas vezes quis, aos que querem que eu esqueça tudo e guarde silêncio, aos que foram cúmplices, aos que me deixaram sozinha quando fiz a denúncia, aos que não acreditam em mim, aos que negam o abuso sexual infantil, tudo volta. Vocês não sabem o que se sente e por isso preferem calar e olhar para o outro lado. Não nos vão calar! Nunca mais grito sem voz! (…) As crianças não mentem.”

Boletim da PM aponta que menina de três anos morta em Araquari teria sido estuprada

Boletim da PM aponta que menina de três anos morta em Araquari teria sido estuprada Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal

Policiais coletaram testemunhos afirmando que as agressões contra a vítima eram constantes Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A menina Laura Cardoso, de três anos, foi estuprada e espancada pelo padrasto, de acordo com boletim divulgado pelo  27º Batalhão da Polícia Militar de Araquari. Segundo o boletim da PM, o médico legista compareceu ao Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, em Joinville confirmou as suspeitas iniciais. Ela teve morte encefálica no domingo. Policiais coletaram testemunhos afirmando que as agressões contra a vítima eram constantes. Também foram recolhidas evidências na residência do casal, como papel higiênico e gases sujos de sangue no lixeiro do banheiro.

Segundo o delegado Luis Felipe Fuentes, que atendeu a ocorrência na Central de Polícia de Joinville, a mãe contou ter saído às 7 horas para trabalhar e voltou para casa às 16 horas, quando encontrou a filha com hematomas e desmaiada na cama. A criança teria ficado aos cuidados do padrasto.

Em depoimento à Polícia Civil, Rafael Silva dos Santos, 20 anos, negou as agressões e qualquer tipo de violência contra a enteada. O delegado afirma que não viu veracidade na versão do suspeito, já que ela não foi corroborada por qualquer outro indício e não tem como ser confirmada.

Na versão de Rafael para a Polícia Militar, ele contou que estava em uma bicicleta com a menina no colo, quando cachorros os atacaram. Ele teria caído sobre a criança e a machucado.

De acordo com o tenente Barros, da PM, os ferimentos encontrados na menina, como lesões corporais e traumatismo craniano, não eram compatíveis com os de quem cai sobre um solo duro, como teria ocorrido caso tivessem sido derrubados da bicicleta.

O homem foi preso em flagrante e encaminhado para Unidade Prisional Avançada (UPA) de São Francisco do Sul. A investigação do caso será realizada pela delegacia de Araquari e o suspeito deve responder por homicídio.

A criança foi levada primeiramente para o pronto-atendimento de Araquari, mas devido a gravidade dos ferimentos foi encaminhada pelo helicóptero Águia da PM ao Hospital Infantil de Joinville. Ela passou por uma cirurgia neurológica durante a noite e permaneceu internada na UTI da unidade até às 16h25, quando foi confirmada a morte.

Pedófilo se passa por produtor de televisão para abusar de adolescentes

Do R7, com Agência Record

Homem abusava das crianças em um sítio na cidade de AtibaiaReprodução/Google

Um pedófilo foi preso após abusar de dois meninos na manhã de segunda-feira (11), em um sítio na cidade de Atibaia, interior de São Paulo.

Oswaldo Marine, de 54 anos, se passava por produtor de televisão, e abusava das crianças que sonhavam com a carreira artística em novelas dedicadas ao público infantil. Até o momento, duas vítimas foram confirmadas, um menino de 14 anos, e um de 12.

A mãe do jovem, de 12 anos, afirmou que conheceu o homem em uma emissora de TV em São Paulo, e que após procurar referências sobre ele, apenas teve boas notícias.

Já a mãe da vítima de 14 anos, ouviu a indicação de um amigo do filho, porém logo após algumas idas das crianças a chácara do pedófilo, as mães desconfiaram dos comportamentos de seus filhos e uma começou a trocar mensagens com Oswaldo, não tendo mais dúvidas sobre os abusos. O homem havia enviado fotos íntimas.

As mães, que moram em cidades diferentes, foram até Atibaia, onde vive o pedófilo, e acionaram a polícia, que após monitorarem o homem por dias, efetuaram a prisão. Oswaldo confessou os crimes.

Segundo o delegado responsável pelo caso, há a suspeita de que o homem tenha abusado de diversos atores mirins. O caso foi registrado na Delegacia Central de Atibaia.

Ex-prefeito de Taiobeiras (MG) é preso por abuso sexual de crianças e adolescentes

Do R7

Joel da Cruz Santos é suspeito de abusar sexualmente de pelo menos sete crianças e adolescentes na cidade de TaiobeirasRecord Minas

O ex-prefeito de Taiobeiras, no norte de Minas Gerais, Joel da Cruz Santos, foi preso na última quinta-feira (31) em uma de suas fazendas na cidade de Curionópolis (PA). Ele é suspeito de abuso sexual contra crianças e adolescentes e estava foragido desde outubro de 2015.

Segundo a Polícia Civil, o ex-prefeito oferecia dinheiro para as vítimas em troca de relações sexuais, sendo que, em alguns dos casos, as mães dos jovens teriam participado do esquema, levando os filhos para Santos em troca de dinheiro. Duas mulheres também foram presas por envolvimento nos crimes.

O ex-prefeito teve a prisão preventiva decretada depois que o Conselho Tutelar e o Centro de Referência em Assistência Social tiveram acesso ao depoimento de uma criança de dez anos que contou que era aliciada pela mãe para se prostituir. Um dos clientes seria Santos. A criança afirmou ainda que a irmã de cinco anos também era levada para a casa do político, onde ambas eram obrigadas a manter relações sexuais em troca de pagamento.

Ainda conforme a polícia, até o momento, sete crianças e adolescentes que teriam sido vítimas do ex-prefeito já foram identificadas. No entanto, a investigação ainda não foi concluída e há possibilidade de que haja mais vítimas.

O político administrou a cidade em três períodos (1978-82, 1989-92, 1997-2002) e já foi investigado por tentativa de homicídio, em 2007, contra um conselheiro tutelar que denunciou casos de exploração infantil. Além de responder por improbidade administrativa, Santos já foi condenado, em 2010, por ter pago adolescentes para fazer sexo com ele.