Arquivo mensal: fevereiro 2016

Polícia pede novo exame médico de bebê arremessado de carro por casal

O titular da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, delegado Enizaldo Plentz, solicitou nesta terça-feira (23) novo exame médico do bebê que foi arremessado de um carro no fim de semana no município do Vale do Sinos. De acordo com ele, a criança de apenas quatro meses de idade ficou desacordada e teve de ser reanimada por populares. No momento, ela está sob cuidados da avó materna.

Segundo a investigação, ela foi jogada pela primeira vez de dentro do carro e uma segunda vez pela própria mãe depois que pedestres tentaram conter o companheiro da mulher.

Conforme o resultado do exame pediátrico mais detalhado, que deve ser feito hoje no Hospital Regina, a polícia pode incluir mais qualificadores no indiciamento do casal responsável pelo crime de tentativa de homicídio. Mãe e padrasto foram presos em flagrante, podem ter a prisão preventiva decretada em breve pela Justiça, estão detidos no presídio de Montenegro e devem ser indiciados pelo crime até o dia 1º de março. Eles disseram que só vão falar em juízo.

Plentz destaca que o novo exame tem como objetivo não só aumentar a gravidade do caso em relação ao indiciamento do casal, mas também verificar se a criança não teve problemas mais graves.

“Se isto tiver ocorrido, espero que não, podemos detectar rapidamente e começar já um tratamento”, diz o delegado.

Apesar dos suspeitos só falarem na Justiça, Plentz não descarta novo depoimento. Segundo ele, as provas são fortes e há várias testemunhas.

Ele classificou o crime como uma ação inexplicável e e que requer toda a atenção da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo.

Entenda o caso
O caso ocorreu no domingo (21) em uma rua do Loteamento Kephas, no bairro São José. Depois de uma discussão dentro de um carro nesta localidade, o padrasto da criança, de 31 anos, atirou a vítima pela janela.

A ação gerou revolta de populares que passavam pelo local, que tentaram agredir o homem. Em seguida, a mulher, de 21 anos, saiu em defesa do companheiro e atirou novamente o bebê no chão.

Gaúcha
Anúncios

Homem filma tortura feita a filho de 1 ano para ameaçar a mãe da criança

O pai sufoca o menino Foto: Reprodução de vídeo
Um homem gravou um vídeo, na véspera do Natal do ano passado, batendo repetidamente no rosto de seu filho, de apenas 1 ano e 9 meses, e tentando enforcar a criança, enquanto ela chora. A intenção do suspeito seria ameaçar a mãe do menino, de 32 anos, com quem ele mantinha relacionamento à época. O registro foi enviado à mulher por WhatsApp, junto com mensagens de ameaça. “Dei na cara dele mesmo, dei muito soco mesmo, era para ter matado ele”, escreve o pai, em uma das mensagens.

Em outro recado, o suspeito faz ameaças diretas à ex-companheira: “Eu vou esperar você sair daí e vou atrás de você para te matar. Ninguém vai ter coragem de ir à delegacia, porque sabem que sou muito violento”. Ele ainda diz desejar que o filho morra: “Eu profetizo a sua desgraça e a morte do (diz o nome do filho), estou pedindo a morte e a desgraça de vocês”. O homem em seguida xinga e ofende a ex.

As ameaças foram registradas na 37ª DP (Ilha do Governador), em fevereiro deste ano, após a mãe se mudar da casa onde morava com o suspeito, em Madureira, na Zona Norte do Rio. A mulher e o filho vivem juntos, na casa da avó materna, desde janeiro de 2016.

O vídeo tem pouco menos de dois minutos de duração e mostra o menino sentado num carrinho, chorando copiosamente, enquanto o pai grita, dá tapas e tenta sufocá-lo. “Fica quieto”, grita o homem, para logo depois atingir a criança com uma série de tapas no rosto. Em seguida, ele grita: “Cala a boca, desgraçado, cala a boca” e “Cala a boca, diabo”.

Imagens divulgadas na web

Um tio da criança publicou o vídeo em seu Facebook. As imagens foram compartilhadas mais de mil vezes.

– Muitas pessoas me adicionaram por solidariedade, outras queriam fazer justiça com as próprias mãos, pediam o endereço dele. Eu não dei porque, por mais que a Justiça seja demorada, é a melhor maneira de resolver as coisas – disse ele, que é irmão da mãe do menino.

Pai e filho, em foto cedida pela família
Pai e filho, em foto cedida pela família Foto: Álbum de família

Ainda de acordo com o tio da vítima, o agressor é funcionário público e trabalha na Secretaria estadual de Educação. Antes do concurso, ele tinha sido professor primário. O tio afirma, ainda, que o suspeito já tinha agredido a mulher algumas vezes, mas a irmã nunca tinha feito registro de ocorrência.

– Ela tinha medo do que ele podia fazer com ela e com o filho, pois ele já a ameaçava – contou.

O EXTRA enviou um email para a assessoria de imprensa da Polícia Civil para saber como estão as investigações sobre o caso, mas ainda não obteve retorno. Já a Secretaria estadual de Educação informou, por nota, que o funcionário foi afastado.

Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/homem-filma-tortura-feita-filho-de-1-ano-para-ameacar-mae-da-crianca-18689835.html#ixzz40S8MqayE

Polícia intensifica buscas por suspeito de torturar a filha de 3 anos, em São Paulo

O suspeito é acusado de torturar a filha, de 3 anos
O suspeito é acusado de torturar a filha, de 3 anos Foto: Vídeo / Reprodução
Uma menina de 3 anos chora enquanto pede ao pai, que avança sobre ela agressivamente, que não a agrida. “Não”, grita a pequena várias vezes, desesperada. O homem não se comove e, em 26 segundos de tortura, golpeia a menina com um cinto por 12 vezes, enquanto a mãe filma a cena, sem se deixar coagir pelo homem. O caso, que comoveu internautas de todo o país, depois que as imagens viralizaram nas redes sociais, mobilizou a Polícia Civil de Franco da Rocha, em São Paulo, que intensificou as buscas pelo supervisor de segurança David Vargas dos Santos.
O suspeito é acusado de torturar a filha, de 3 anos
O suspeito é acusado de torturar a filha, de 3 anos Foto: Vídeo / Reprodução

As imagens, feitas no dia 15 de dezembro, foram entregues à polícia, e a Justiça decretou a prisão do homem, acusado de tortura, após pedido da delegada Marilda de Jesus Reis Romani. Segundo a Polícia Civil, não há informações sobre o paradeiro de Santos, mas oficiais da Delegacia Seccional de Polícia de Franco da Rocha garantem que todas as equipes estão focadas na captura do agressor.

Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/policia-intensifica-buscas-por-suspeito-de-torturar-filha-de-3-anos-em-sao-paulo-18388090.html#ixzz40S83AUN1

Adolescente que foi mãe aos 12 anos ainda não registrou o bebê

Do R7 com Record Bahia

Gravidez foi de risco e bebê nasceu prematuroReprodução/Record Bahia

Tatiana tem apenas 12 anos e está aprendendo aos poucos a cuidar do filho Douglas de três meses. Desde que ficou grávida a rotina da adolescente mudou.

A gravidez foi de risco e Douglas nasceu em junho deste ano com sete meses, pesando 1800g. O bebe prematuro é fruto do relacionamento da adolescente com o primo. Tatiana afirma que foi sua primeira relação sexual e diz não ter recebido orientação da família.

Douglas não foi registrado, pois a mãe espera receber o resultado do exame de DNA, feito a pedido da família do pai do menino.

Uma pesquisa feira pela Secretaria de Saúde do Estado revela que quase 41 mil adolescentes entre 10 e 19 anos tiveram o primeiro filho em 2012 na Bahia. A região do extremo sul da Bahia apresenta a maior concentração de mães nesta faixa etária. Em Aurelino Leal, 40% das adolescentes são mães. Em arataca 39 em cada cem já tem filho e em Itaju da Colônia são quase 37%. A capital apresenta um índice bem menor: 15%.

Para tentar diminuir os índices, o Ministério da Saúde junto com as secretarias do estado estão distribuindo cadernetas com orientações sexuais para adolescentes. O apoio da família é uma das principais recomendações

Ao receber a notícia de que estava grávida Tatiana e a mãe ficaram em estado de choque. A mulher chegou até a desmaiar. Agora a adolescente e o bebê estão sob a guarda da tia que contou que a ideia da mãe e da adolescente era dar o bebê para adoção.
Tatiana diz que se pudesse voltar no tempo não teria um filho aos 12 anos, que iria aproveitar a vida, estudar e fazer outras coisas.

Após tortura e abusos, criança ficou trancada em quarto por pelo menos dois dias até ser resgatada

Caroline Apple, do R7

Imagens do corpo da vítimaArquivo pessoal

Cleivani Marques Melo, conhecida como Loira, andava pelas ruas de Santana de Parnaíba (Grande SP) colando adesivos de sua campanha eleitoral para vereadora e visitando possíveis eleitores. Cleivani contou ao R7 que, em meio a esses encontros, é comum receber pedidos de favores por parte dos munícipes, mas ela não estava preparada para atender a uma solicitação que aparentava ser simples, mas se tornou um pesadelo ao dar de cara com uma criança de dez anos cheia de roxos pelo corpo e totalmente debilitada.

Loira passava pela rua do Lucro, 176, na última terça-feira (9), quando uma mulher a chamou amigavelmente na porta de casa, perguntando se ela seria candidata novamente.

— Eu me aproximei e disse que sim [que era pré-candidata]. Logo ela me perguntou se eu poderia ajudá-la, porque a filha mais nova tinha caído e estava fraca, apesar dela ter dado um macarrão instantâneo e uma água de coco para ela. Eu disse que ajudaria e então ela me convidou para entrar.

Cleivani conta que a mulher, identificada como Ilda, mãe da vítima, pegou uma chave e a levou em um quarto escuro, que não tinha acesso à casa. No local, Cleivani encontrou uma garota deitada e, com dificuldade, conseguiu tirá-la da cama. Foi quando levantou a blusa da criança que notou uma série de hematomas, que não condiziam com a história contada pela mãe.

— Na hora eu disse que aquilo não era tombo. Ela [a mãe] e uma das irmãs tentavam me convencer e eu só pensava que para ela ter ficado daquela maneira teria que ter caído em um buraco muito fundo. Eu sabia que tinha algo errado. A menina só dizia, com a voz fraca, que não podia ir para um lugar que tinha muita gente. Ela estava há dois dias lá trancada.

Segundo Loira, a mãe então orientou a filha a ir chamar o namorado da outra irmã, a Thábata, que logo estava na casa, fitando a testemunha de forma ameaçadora.

— Eu tinha que tirar aquela menina de dentro daquela casa, eu sabia que aquele rapaz tinha feito mal a ela. Foi então que decidi entrar na história da mãe e comecei a dizer que era normal crianças caírem e que ajudaria a levá-la ao hospital, onde ela seria medicada e voltaria para casa. Ele acreditou e ainda debochou da garota, dizendo que ela só tomaria um remedinho.

Com a criança e a mãe dentro do carro, Cleiviani começou a insistir para que a verdade fosse dita.

— Eu sabia que era caso de cadeia. A garota foi calada até o hospital. Quando chegamos, o telefone da mãe dela tocou e logo ela foi para o meio da rua atender e nos deixou lá. Eu peguei a cadeira de rodas e dei entrada com ela no hospital. Juntei os médicos e contei tudo o que aconteceu. O hospital chamou a polícia e o conselho tutelar. Fui embora, mas com toda aquela cena na cabeça. Estou com guia para passar no psicólogo. Como pode uma mãe se comportar daquela maneira? E pensar que aquele dia estava tão alegre.

Pedófilo é preso após imagens serem entregues em emissora de TV

Do G1 MA

A polícia encontrou um pedófilo em Codó, a 302 Km de São Luís, após uma pessoa entregar em uma emissora de TV local um estojo perdido na rua que continha 14 cartões de memória com imagens de uma criança em poses pornográficas.

Nilson Rodrigues do Nascimento, de 36 anos, era vizinho da vítima de apenas 6 anos e atraia a criança para a sua casa usando um videogame portátil. Enquanto a menina brincava, ele se aproveitava para praticar o crime.

“São cerca de 400 imagens, entre fotografia e filmagens, e na maioria significativa desses registros a criança está em pose pornográfica. Em algumas situações ele aparece pegando nas partes íntimas da criança, abaixando a calcinha dela. São cenas realmente chocantes, principalmente para quem tem família e para quem tem filho ”, disse o delegado regional Alcides Nunes Neto.

Interrogado, o criminoso negou que tenha praticado conjunção carnal com a menina. “Ele confessou que fez o registro, não tinha como negar. São imagens dele que aparecem no vídeo. Ele confessou a prática desse crime e negou ter mantido com a criança relações sexuais. De toda forma, já ficou configurado o crime de estupro de vulnerável e o registro de material pornográfico envolvendo criança”, disse o delegado.

Nilson Rodrigues do Nascimento está com prisão temporária decretada pela Justiça, mas o delegado vai pedir a prisão preventiva, quando o suspeito fica preso por tempo indeterminado.

Escândalo sexual: seminarista católico é preso após planejar fazer sexo com bebê adotado no México

Do R7

Joel Wright foi diagnosticado com glaucoma quando ainda era um bebêReprodução/ State of Vermont

Um seminarista católico do Estado de Ohio foi preso na Califórnia na sexta-feira (29), por supostamente planejar fazer sexo com uma criança adotada no México, segundo informou a polícia.

Joel Wright, um padre em treinamento do Pontifício Colégio Josephinum de Columbus, foi preso depois que seu avião pousou no Aeroporto Internacional de San Diego. Ele planejava continuar a viagem até Tijuana, no México, onde ele iria para um hotel e supostamente compraria o bebê para fazer sexo.

As autoridades federais começaram a investigar Wright depois de descobrirem que ele tentou pagar uma pessoa para adotar uma criança mexicana para fazer sexo em julho de 2014.

Em novembro do ano passado, um agente federal se passando por um guia turístico mexicano começou a conversar com o seminarista pela internet.

Em meio às conversas, o jovem teria dito que queria adotar ou comprar um bebê com idade inferior a 3 anos, ter relações sexuais com ele e filmá-lo fazendo sexo.

Em seguida, ambos combinaram de se encontrar na cidade de San Diego, onde foi preso. Agora, Wright enfrenta duas acusações de crimes sexuais.

Natural de Vermont, Wright foi diagnosticado com glaucoma quando ainda era um bebê, segundo seu perfil no site do governo do Estado de Vermont. No texto, ele afirma que queria se tornar padre para encorajar outras pessoas a superarem suas deficiências. Após o escândalo sexual, ele foi expulso da escola de seminários.