Polícia investiga mãe e padrasto suspeitos de espancar criança


A Polícia Civil do Distrito Federal investiga a mãe e o padrasto de um menino de 5 anos, por suspeito de espancamento. A família mora em um apartamento de luxo em Águas Claras. O Conselho Tutelar transferiu a guarda do garoto para o pai biológico, em caráter provisório.

As agressões teriam ocorrido na última sexta-feira (29/08). A denúncia foi feita pela babá do menino, que fotografou as marcas de agressão e encaminhou o material ao Conselho Tutelar. Uma equipe foi ao apartamento da família para verificar a situação e encontrou o menino dormindo, na companhia da empregada.

De acordo com o conselheiro Iran Magalhães, a mulher confirmou as agressões por parte do padrasto, mas disse estar com medo da reação dos patrões. Ela chegou a receber uma ligação da mãe durante a visita e foi orientada a não deixar a equipe entrar na casa ou ver o menino.

“Então ele acordou, e foi um momento bastante emocionante para a gente. Ela explicou quem éramos e disse: ‘Eu não prometi que o tio [o padrasto] nunca mais iria te machucar?’ O menino a abraçou, e depois nos contou tudo”, disse Magalhães.

Ainda segundo o conselheiro, a mãe esteve na instituição na terça e negou que o padrasto fosse o autor das agressões. Ela teria dito que bateu na criança para “corrigi-la” e que achava a situação normal.

“Questionei se ela achava correto espancar, e ela disse que não, que ela não espancou, que corrigiu. ‘Não espanquei, cresci apanhando, bato na hora que eu quero’, foi o que ela me disse”, afirmou.

Em depoimento, o pai biológico afirmou que desconhecia as agressões, e que perdeu o contato com a família nos últimos três meses. Até as 16h desta sexta (29), a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente ainda tentava intimar a mãe e o padrasto para prestarem depoimento.

Segundo o delegado Reinaldo Lobo, responsável pelo caso, a criança apresenta sequelas psicológicas da agressão. “Ele chora muito, está muito agressivo. A toda hora conta que foi agredido pelo padrasto”, diz.

Segundo depoimentos de testemunhas, a mãe disse que o garoto tem distúrbio de atenção e é hiperativo – o que, na visão dela, poderia justificar as agressões.

A Polícia Civil aguarda o laudo definitivo do Instituto Médico Legal, que deve ser concluído na próxima semana. O casal será indiciado por maus tratos, e a pena varia de dois meses a um ano (ou pagamento de fiança). Ambos respondem em liberdade.

Fonte: com informações do G1

Publicado Por: Juliana Araujo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: