Após vassouradas, criança morta foi agredida com garrafa pela mãe

Os pais do menino Daniel Carlos Castro Lopes, de dois anos, foram presos nesta sexta-feira (12) e confessaram as agressões que mataram a criança. Diego Emanuel Pereira de Oliveira, 22, e Sara Castro Lopes, 24, deverão responder por homicídio doloso. Os dois relataram que, mesmo após os golpes com uma vassoura, tão fortes que quebraram o objeto, o menino continuou sendo agredido.

De acordo com a polícia, o menino foi espancado com a vassoura no dia 26 na casa da família, localizada no bairro Tarumã, em Manaus. As investigações apontam que o pai foi o autor da agressão, no momento em que a mãe estava no trabalho. Ele afirma que bateu no menino pois ele havia mexido na bicicleta do vizinho.

Ao chegar em casa, a mãe constatou os hematomas e serviu o jantar para o menino. Já sentindo as consequências da agressão, o menino afirmou que não queria comer e vomitou. “Ele sujou toda a casa com vômito, então bati nele com uma garrafa de suco na cabeça. Eu bati, mas não matei meu filho. Foi culpa desse monstro”, contou Sara.

O menino foi encaminhado ao hospital somente dois dias após o crime. Segundo os pais, eles o levaram pois a criança começou a vomitar sangue. Na unidade hospitalar, eles falaram para os médicos que um vizinho havia agredido Daniel. Após 15 dias internado, o menino veio a óbito. O pai culpa os médicos. No entanto, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) constatou que a morte ocorreu em decorrência de múltiplas lesões abdominais causadas por agressão física. “Ele morreu por infecção. O Daniel já estava bem no sábado, mas colocaram ele para andar e depois disso ele morreu”, afirmou Diego.

Durante entrevista, o casal trocou acusações. “Quando eu voltei para casa, o cabo da vassoura já estava quebrado. Ele que matou o menino. Eu bati nele por causa do vômito mas foi um momento de raiva”, declarou a mãe. Já o pai afirmou que Sara já havia tentado assassinar outras pessoas. “Ela sai e passa três dias fora de casa para se prostituir. É um verme. Ela já tentou matar duas pessoas e sempre batia no menino”, se defendeu Diego.

Segundo a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investigou o crime, os dois confessaram as agressões. “Os dois são confessos. A mulher foi a primeira que confessou, mas depois quando encontrou com o marido jogaram a culpa um para o outro. Eles já estavam tão acostumados a bater na criança que não viram mais como algo ruim”, explicou a delegada Débora Mafra, que ouviu o depoimento dos pais nesta semana.

Após o casal ser ouvido, eles foram liberados, por não haver flagrante. Com mandado de prisão expedido nesta sexta (12), os dois foram detidos. A mulher estava na casa da família, localizada no Conjunto Campos Sales, e Diego com a mãe no bairro de Flores.

Para o delegado-titular da DEHS, Paulo Martins, a criança já sofria há um tempo. “Os dois tinham o costume de vender objetos de casa para comprar drogas. Eles disseram que agrediam bastante a criança. Moravam em um ambiente onde a criança não era aceita e sofria por causa disso. Quando soubemos da possibilidade de homicídio, realizamos a abordagem e eles confessaram para a DEHS”, destacou.

O casal foi indiciado por homicídio doloso. Os dois devem ser encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus.

Fonte: com informações do G1

Publicado Por: Juliana Araujo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: