Arquivo mensal: novembro 2014

Menina de 3 anos morre após ser espancada e estuprada pelo padrasto

Uma criança de três anos faleceu após um ataque brutal cometido pelo seu novo padrasto. Ela foi espancada e estuprada pelo homem.

Charlie Brame tinha sinais de abusos agravados junto de um trauma no crânio. Ela veio a óbito em um hospital de Orlando, na Flórida, EUA.

Seu padrasto, Pascal Kaufmann, informou aos oficiais que a menina havia parado de se mexer no sábado (21). O acusado, de 19 anos, foi o autor das lesões.

Menina de 3 anos é espancada e estuprada pelo padrasto e acaba morrendo

O rapaz havia se mudado da Alemanha para os EUA em agosto, e se casou com a mãe de Brame uma semana antes do incidente trágico. Ele alegou à polícia que a menina havia se ferido ao cair da cama. Como ela não se movia, pediu o telefone celular de um vizinho emprestado e ligou para sua esposa.

Kaufmann se recusou a ter ajuda dos moradores locais, e se manteve frio a todo momento. Os paramédicos chegaram à residência e encontraram a menina lutando para respirar e coberta de hematomas na cabeça e nas costas.

O pai da vítima estava preocupado com o novo marido da ex-companheira, e havia pedido à mulher para não deixar a filha sozinha com ele após o acusado bater na criança em outra ocasião. Ele disse para que Kaufmann nunca tocasse sua filha novamente, ou “iria mata-lo”.

O suspeito foi acusado de negligência infantil e estupro. Uma autópsia pode gerar novas penalidades ao alemão. Sua fiança foi negada.

Fonte: NY Daily News

Anúncios

Bebê achado morto em lixão no RN tinha ar nos pulmões e cortes no peito

Do G1 RN

Corpo do bebê estava dentro de um caixa de papelão, jogada no lixão (Foto: Divulgação/Polícia Militar)Corpo do bebê estava dentro de um caixa de
papelão, jogada no lixão (Foto: Divulgação/PM)

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte revelou ao G1 na manhã desta quarta-feira (26) que o bebê encontrado morto em um lixão na zona rural de Macau, cidade da região da Costa Branca do estado, não foi vítima de um aborto. Segundo o delegado Delmontiê Falcão, laudos do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) apontam que a criança tinha ar nos pulmões e marcas de cortes feitos por um objeto perfurocortante nos pulsos e no peito. “Ela nasceu viva após oito ou nove meses de gestação, e respirou fora da barriga da mãe. Depois, foi vítima de um homicídio”, afirmou.

O corpo do bebê foi achado no último dia 21 por catadores que trabalhavam no lixão. O local fica a 9 quilômetros da sede do município. Estava de fraudas, coberto por um lençol e sacos plásticos dentro de uma caixa de papelão. Também apresentava algumas lesões, provavelmente feitas por bicadas de urubus.

No mesmo dia, uma jovem de 18 anos, suspeita de ser a mãe da criança, foi levada para prestar esclarecimentos na delegacia da cidade. Na ocasião, ainda segundo Delmontiê, ela negou que o bebê fosse dela, mas admitiu que havia abortado um feto três dias antes.

“Ela disse que abortou numa praia, e que o corpo ficou em um lixo. Ele pode ter sido recolhido e jogado no lixão onde foi achado. Acredito que seja o mesmo bebê, mas só teremos certeza da maternidade com o resultado do exame de DNA”, ressaltou. “Ela ainda relatou que abortou após sentir fortes contrações depois de tomar um analgésico para dor. O medicamento também foi analisado e ficou constatado que não é abortivo”, acrescentou o delegado. Após ser ouvida, a mulher foi liberada.

Delmontiê afirmou também que o DNA já foi solicitado, mas que não há previsão de quando será realizado, uma vez que o exame não é feito no Rio Grande do Norte. “Só é feito em Salvador. Aí depende do Estado. Se der positivo, ela vai responder pela morte da criança. Caso contrário, teremos muito trabalho para descobrir que foi que realmente pariu e matou a criança”, acrescentou.

Lixão onde corpo foi encontrado fica a 9 quilômetro da sede do município de Macau (Foto: Divulgação/Polícia Militar do RN)Lixão onde corpo foi encontrado fica a 9 quilômetro da sede do município de Macau (Foto: Divulgação/PM)

No AM, pai e tio são presos suspeitos de abuso sexual de criança de 8 anos

Do G1 AM

A Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (29), a prisão de um pai, de 32 anos, e tio de 26 foram presos suspeitos de abusar sexualmente de uma criança de oito anos. De acordo com a polícia, o abuso era cometido pelos homens no ramal Brasileirinho, bairro João Paulo, na Zona Leste de Manaus, onde trabalhavam como caseiros em uma propriedade. A polícia informou ainda que a criança foi abandonada pela mãe quando tinha apenas três anos.

Segundo as investigações, um vizinho começou a suspeitar do comportamento da menina e denunciou a situação na delegacia. “Em depoimento, a testemunha disse que a menina brincava na casa dele, quando o pai ia pegar a criança para levar de volta para casa, ela chorava muito. Por conta disso, ela relatou para esse vizinho que era abusada pelo pai e tio. Foi quando ele resolveu fazer a denúncia”, informou a titular da Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA), Linda Gláucia, por meio de assessoria.

A criança passou por exames no Instituto Médico Legal (IML), onde foi constatada a violência sexual. A justiça decretou então a prisão preventiva dos dois. O tio foi preso no dia 17 de outubro no mesmo ramal e o pai dia 18 de outubro, no município de Nova Olinda do Norte, no interior do Amazonas.

Os homens foram autuados por estupro de vulnerável, e serão conduzidos à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus. Conforme a delegada, a menina está morando atualmente com familiares em Nova Olinda do Norte.

Preso por tortura, padrasto confessa ter afogado bebê no AM, diz polícia

Do G1 AM

Crianças sofreram agressões físicas por quatro meses (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)Crianças sofreram agressões físicas por quatro meses (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Um homem de 18 anos foi preso, nesta terça-feira (25), suspeito de torturar os filhos da mulher com quem vive há quatro meses. Segundo informações da Polícia Civil, ele confessou em depoimento ter enforcado e afogado a enteada de oito meses em um reservatório de água, até a criança desmaiar. Um irmão gêmeo e outro, de três anos, também seriam vítimas de maus-tratos, como queimaduras e cortes pelo corpo. De acordo com a polícia, a mãe das crianças disse que presenciou todos os momentos de violência.

O homem foi preso em uma casa localizada na Zona Norte de Manaus, onde estava acompanhado da mãe das crianças. O suspeito estava foragido desde o dia 20 de outubro deste ano, quando uma conhecida da família foi ao sítio em que o casal morava com as crianças – na BR-174 -, percebeu sinais de agressão nas crianças e realizou a denúncia.

Médicos encontraram tumores na cabeça de uma das crianças (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)Médicos encontraram tumores na cabeça de uma  as crianças (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

A conhecida da família levou as vítimas a um hospital na Zona Leste de Manaus, onde médicos confirmaram que as crianças sofreram agressões físicas, e ainda tinham anemia e desnutrição. A Polícia Civil informou, por meio de assessoria de imprensa, que uma das vítimas apresentou também tumores na cabeça. Os irmãos permanecem acolhidos desde o dia 20 de outubro sob os cuidados do Serviço de Atendimento Institucional (SAI).

Em depoimento à Polícia Civil, o homem confessou as agressões e relatou casos de tortura. Segundo informações da polícia, o suspeito falou sobre uma ocasião em que afogou e enforcou a enteada de oito meses até a criança desmaiar, por conta do choro da menina. O homem disse também que chegou a jogar os irmãos em um igarapé pelo mesmo motivo. Exames médicos revelaram que as crianças foram vítimas de cortes profundos e golpes com pedaço de madeira.

A mãe das crianças, segundo a Polícia Civil, assumiu que não tentou impedir o suspeito nos momentos de violência e que presenciou as agressões. Ela perdeu a tutela dos filhos, foi indiciada por tortura e responderá o processo em liberdade.

O homem, que responderá pelo crime de tortura, prestou depoimento na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e foi encaminhado para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus.

Bebê sobrevive por cinco dias abandonado em bueiro na Austrália


Foto divulgada pela polícia local mostra o bebê recém-nascido que foi encontrado no domingo – AP

SYDNEY — Uma australiana foi indiciada por tentativa de assassinato nesta segunda-feira, depois que seu bebê recém-nascido foi encontrado com vida em um bueiro em uma estrada, onde passou cinco dias, informou a polícia. A mãe, uma mulher de 30 anos, não apareceu no tribunal local para responder à acusação de homicídio. Se for condenada, ela pode ser sentenciada a 25 anos de prisão.

Ciclistas ouviram o choro e encontraram o bebê na manhã de domingo na rede de esgoto, a 2,5 metros de profundidade. A criança estava perto de uma pista de ciclismo na zona oeste de Sydney.

O local estava fechado com uma pesada tampa de cimento, e várias pessoas foram chamadas para levantar a peça. No fundo do bueiro, os ciclistas encontraram um bebê recém-nascido coberto com um lençol de hospital e ainda com uma pinça de plástico no cordão umbilical.

‘Nós, na verdade, pensamos que era um gatinho no início, mas quando descemos, deu para ver que era um bebê gritando”, disse o ciclista David Otte ao “Daily Telegraph“.

A polícia investigou durante várias horas os registros hospitalares e localizou a mãe, de 30 anos. O bebê foi hospitalizado e seu estado de saúde é considerado estável.

A polícia destacou que o menino não teria conseguido sobreviver por mais tempo, já que a temperatura em Sydney chegou a 40ºC no domingo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/bebe-sobrevive-por-cinco-dias-abandonado-em-bueiro-na-australia-14642296#ixzz3K0DzjrRx
© 1996 – 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Recém-nascido é encontrado em esgoto por ciclistas na Austrália

Um bebê recém-nascido foi encontrado em um bueiro na Austrália depois de sobreviver até cinco dias no local.

A criança foi notada por ciclistas em uma tubulação de esgoto em Sydney no domingo (23). O menino estava desnutrido e desidratado. Ele se encontra em estado grave mas estável em um hospital de Sydney.

A mãe, de 30 anos de idade, foi indiciada por tentativa de homicídio.

O bebê nasceu na segunda-feira, segundo a polícia, e 24 horas depois foi jogado pela estreita abertura de um dreno de águas pluviais, caindo 2,5 metros.

Diversas pessoas ajudaram a levantar a pesada tampa de concreto do bueiro para salvar o menino. As autoridades acreditam que a criança não seria capaz de sobreviver muito mais tempo se não tivesse sido encontrada. Sydney tem registrado temperaturas recordes acima de 40º C.

‘Angustiante’

Um dos ciclistas que encontraram a criança, David Otte, contou que foi atraído para o bueiro pelo choro do bebê.

“Era muito alto. Não dava para dizer que era um bebê”, disse Otte, citado pelo jornal Sydney Morning Herald. “Nós não conseguíamos vê-lo, mas conseguíamos ouvi-lo. Foi angustiante.”

A polícia chegou à mãe depois de verificar os registros hospitalares e bater nas portas de residências da área.

O inspector da polícia local, David Lagats, descreveu a descoberta do bebê como “preocupante”. Ele disse a jornalistas que o bebê foi encontrado enrolado em um cobertor listrado semelhante ao dado a recém-nascidos nos hospitais australianos.

A mãe teve fiança negada e deverá comparecer ao tribunal na sexta-feira. Enquanto estiver presa, ela receberá cuidados pós-natal, por ordem da justiça.

Adolescente pedófilo é preso após estuprar menina de cinco anos e a contaminar com doença sexualmente transmissível

Uma menina de cinco anos de idade foi infectada com uma doença sexualmente transmissível, depois de ser estuprada por um parente adolescente.

Luis Arevelo foi preso por ter abusado intimamente da criança, depois que sua mãe a levou para um hospital e ela foi diagnosticada com clamídia.

O adolescente de 18 anos, da Pensilvânia, Estados Unidos, é acusado de estuprar a menina em seu quarto, em um incidente que aconteceu há alguns meses.

Adolescente pedófilo é preso após estuprar menina de cinco anos

Quando entrevistada, sua mãe disse que a filha já havia lhe dito que Arvelo “enfiou o ‘xixi’ em suas partes íntimas.”

O adolescente, que nasceu no Equador, nega ter estuprado a criança, mas admitiu ter clamídia. Ele está detido na prisão do condado de Delaware.

A mãe da vítima não foi acusada pelo incidente.

Fonte: Metro