Arquivo mensal: junho 2014

Recém-nascida encontrada por adolescentes dentro de saco, em Maricá, já tem lista de interessados em adotá-la

A recém-nascida abandonada ganhou o apelido de Vitória
A recém-nascida abandonada ganhou o apelido de Vitória Foto: Reprodução do Facebook
Wilson Mendes
A recém-nascida encontrada por dois adolescente num saco plástico deixado numa praça no bairro São José, em Maricá, na Região dos Lagos, já em uma lista de pessoas interessadas em adotá-la. A informação é de Cristina Moraes, mãe de Matheus Moraes, de 16 anos, um dos jovens que achou o bebê. Ela esteve no Hospital municipal Conde Modesto Leal, onde a menina está, na manhã desta quarta-feira e conversou com a equipe.

– O hospital vem recebendo muitas ligações. Ela é realmente muito querida. Chorei demais quando a vi. Não vou entrar na fila da adoção porque já tenho três filhos e tem muita gente já interessada – contou Cristina.

 

Thales (à esquerda) e Matheus: recém-nascida estava num saco plástico
Thales (à esquerda) e Matheus: recém-nascida estava num saco plástico Foto: Divulgação

 

Segundo os médicos, a neném – que ganhou o apelido de Vitória – não tem problemas de saúde. Ela deve ser encaminhada para o Conselho Tutelar ainda nesta quarta e colocada na frente na lista de adoção.

Matheus e Thales Garcia, de 15 anos, estavam a caminho da praça para andar na pista de skate, por volta de 21h desta terça, quando ouviram um barulho num terreno baldio.

– Primeiro pensei que pudesse ser um animal, um gato. Mas logo a criança chorou e não tivemos dúvida – contou Matheus.

Segundo ele, o bebê ainda estava cheio de sangue e com o cordão umbilical, o que indicaria que deve ter sido abandonado logo após o parto.

PM faz buscas por mãe

Policiais militares estão fazendo buscas por hospitais e unidades de saúde de Maricá à procura da recém-nascida. Os militares descartaram que a mulher seja uma dependente quimica moradora do bairro, como chegou a ser cogitado.

Cedo, os policiais receberam a informação de que uma jovem usuária de drogas estava andando pelo bairro sem ostentar mais a barriga de gravidez, visível até o dia anterior. Numa diligência até a casa da mulher, no entanto, confirmaram que ela ainda estava grávida.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/recem-nascida-encontrada-por-adolescentes-dentro-de-saco-em-marica-ja-tem-lista-de-interessados-em-adota-la-12343497.html#ixzz35qtt77bl

Criança é abandonada em caixote às margens da BR-101, em Itaboraí

Policiais do 35º BPM (Itaboraí) resgataram a criança Foto: PMERJ / Divulgação
Wilson Mendes
Tamanho do texto A A A

Uma criança, aparentemente com um ano de idade, foi encontrada abandonada dentro de um caixote de madeira, na noite de quarta-feira, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. O menino foi resgatado e passa por atendimento psicológico e médico.

 

O caixote onde estava a criança
O caixote onde estava a criança Foto: PMERJ / Divulgação

 

De acordo com policiais do 35º BPM (Itaboraí), eles foram acionados na manhã desta quinta-feira para resgatar um menino abandonado à margem da BR-101. Ao chegarem ao local, próximo a um posto de combustíveis, na altura da Estrada de Picos, encontraram o menor, deixado dentro de um caixote, apenas com as roupas do corpo.

 

Roupas que o menino vestia quando foi resgatado
Roupas que o menino vestia quando foi resgatado Foto: PMERJ / Divulgação

 

O Conselho Tutelar foi acionado, e a criança recebe atendimento médico e psicológico no momento. O caso está sendo investigado pela 71ª DP (Itaboraí), onde foi feito o registro do abandono.

Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/crianca-abandonada-em-caixote-as-margens-da-br-101-em-itaborai-13024280.html#ixzz35qtJZLnU

Mulher é presa acusada de estuprar filhos de nove e doze anos em Curitiba; pai já estava preso

Uma mulher de 46 anos, acusada de estupro contra os próprios filhos de nove e doze anos, foi presa na manhã desta quinta-feira (26), em Curitiba. De acordo com a delegada Sabrina Alexandrino, do Núcleo de Proteção à Criança e aos Adolescentes Vítimas de Crimes (Nucria), o pai deles já havia sido preso em agosto de 2012 também por crimes sexuais contra crianças.

“Além de introduzir brinquedos sexuais nos filhos e obrigá-los a praticar sexo entre eles, a mãe filmava os atos e espalhava pela internet, tudo sob ameaça. A filha chegou nos contar que ela afirmava que se não fizessem, eles temiam a morte”, comentou a delegada.

Segundo a delegada Sabrina, antes do pai ser preso, a mulher observava e incentivava o marido a violentar crianças. “Ela foi indiciada por estupro de vulnerável e produção de imagens pornográficas envolvendo crianças e adolescentes e deve pegar uma longa pena de prisão agora”, disse.

A filha mais velha está sob a guarda de um familiar e já passa por tratamento psicológico. O menino está sob tutela do conselho tutelar.

A Polícia Civil divulgou um trecho do relato das crianças à polícia e as palavras são fortes:

relatoabuso

 

Pai que deixou filho no carro pesquisou quanto tempo um animal sobrevive em veículo quente

Justin Harris e o filho Cooper, de 1 ano e 10 meses
Justin Harris e o filho Cooper, de 1 ano e 10 meses Foto: Reprodução / Change.org
Extra
Tamanho do texto A A A

Justin Ross Harris, o pai que alega ter esquecido o filho no carro por sete horas, pesquisou quanto tempo um animal poderia sobreviver fechado em um veículo quente. Segundo o jornal britânico Daily Mail, a pesquisa na internet foi realizada no computador de seu escritório. O Insitituto Médico Legal de Cobb County, nos Estados Unidos, concluiu que Cooper, de 1 ano e 10 meses, morreu de hipertermia — elevação exagerada da temperatura corporal — e foi assassinado.

Harris, de 33 anos, deixou o filho na cadeirinha no banco traseiro entre 9h e 16h do último dia 18, quando fazia 31ºC. Ele afirma que deveria ter deixado o menino na creche antes de ir para o trabalho, mas se esqueceu dele. Segundo o jornal britânico, Harris ainda teria voltado ao seu carro na hora do almoço para buscar um objeto. O pai foi acusado de crueldade infantil e homicídio, mas as investigações da polícia ainda avaliam se o crime pode ter sido premeditado.

Em entrevista à CNN, o sargento Dana Pierce, responsável pelo caso, afirmou que a história não é tão simples quanto parece. “Muita coisa mudou nas circunstâncias que levaram à morte esse menino de 22 meses desde que ela foi comunicada. Eu trabalho com investigação policial há 34 anos. O que eu sei sobre esse caso me choca como policial, pai e avô”, disse. Pierce não explicou o que quis dizer com isso, devido à investigação, mas deixou claro que não se tratava apenas de um acidente provocado pelo calor.

Por volta de 16h do último dia 18, Harris estacionou seu carro no estacionamento de um shopping e começou a gritar pedindo ajuda. “As respostas que o pai deu aos socorristas que chegaram ao local não faziam muito sentido”, explicou o sargento. “Eu não posso confirmar que a criança, conforme foi informado (pelo pai), estava no carro às 9h da manhã”, afirmou Pierce.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/pai-que-deixou-filho-no-carro-pesquisou-quanto-tempo-um-animal-sobrevive-em-veiculo-quente-13024373.html#ixzz35lqn7Kqa

Mulher indiana que vive na pobreza vende bebê recém-nascido por menos de 500 reais para alimentar outros filhos

Uma mãe solteira, que possui quatro filhos, se sentiu obrigada a vender seu bebê recém-nascido por menos de 500 reais para conseguir pagar as despesas básicas e sobreviver.

Gauri Shah, de 32 anos, que vive em uma favela perto dos trilhos de trem na aldeia em Jalpaiguri, Índia, foi abandonada pelo marido quando esperava por seu quarto filho.

Ela acabou vendendo o menino a um casal que não possui filhos, mas seus vizinhos, que ficaram sabendo o incidente, denunciaram o caso. O bebê acabou sendo retirado do casal comprador e agora está em um orfanato.

A mulher, que possui como única fonte de renda o dinheiro que sua mãe de 70 anos recebe mendigando nas ruas, disse não ter arrependimento da venda com o recém-nascido, e, segundo ela, foi a única forma de fazer seus filhos sobreviverem.

bebê

Gauri comentou que se o governo local a ajudar, ela conseguirá ter o filho de volta. As autoridades deram 60 dias para ela resolver se deseja o bebê de volta. Se a resposta for negativa, a criança será colocada à adoção.

77

777

7777

Fonte: DailyMail

Mãe passa nove meses envenenando filha saudável de quatro anos com medicações de quimioterapia para chamar a atenção no Facebook

Uma mãe, desesperada por atenção, envenenou sua filha com medicamentos de combate ao câncer apesar da menina de quatro anos estar saudável. A mulher acabou presa por seis anos.

A acusada, que não pode ter o nome revelado por razões legais já passou 427 dias sob custódia. Ela poderá usar a liberdade condicional a partir de 10 de abril de 2015.

Desesperada por atenção, a mulher de 23 anos fingiu sintomas afirmando ter o apêndice removido. Depois contou sobre a “luta pela vida” da filha de 4 anos, atraindo mais de 8 mil pessoas e recebendo cerca de R$ 1.100 em doações. As drogas dadas pela mãe à filha poderiam causar doenças graves, incluindo falência da medula óssea.

Mãe envenena filha

A criança, agora com 5 anos, está sob os cuidados da avó materna. Segundo a procuradoria, a acusada sofria de um transtorno de personalidade, e não um transtorno mental.

Apesar do abuso, a criança encontra-se atualmente saudável.

Fonte: Daily Mail

Vizinhos encontram corpo de menina de 9 anos, com deficiência, dentro de geladeira de seu apartamento

O pai de uma menina com deficiência passou dias acreditando que sua filha estava viva, quando na verdade a menina estava morta e dentro da geladeira na casa de sua mãe. Vizinhos disseram à polícia de Houston (EUA) que não tinham visto a filha, de 9 anos, que sofria de paralisia cerebral, durante meses, e foi procura-la no apartamento da mãe da menina.

Para surpresa e horror, eles encontraram o corpo da criança enrolado a um cobertor, dentro da geladeira na residência. A criança foi identificada por seu pai como Ayahna.

O corpo da menina pesava 14 quilos quando os investigadores o encontraram. A criança teria morrido no dia 29 de janeiro, segundo informações da mãe, Amber Keyes.

A mulher acabou se entregando para as autoridades, mas foi liberada mais tarde sem acusações apresentadas contra ela. Keyes disse aos investigadores que acordou de madrugada e encontrou Ayahna sem respirar. Ela tentou reanimar a menina, mas não conseguiu.

Ayahna

Ela, então, pegou sua filha mais nova, Arabea, e levou para a escola, e ao voltar envolveu a criança morta em um cobertor , colocando em uma geladeira. O corpo não ficou escondido por muito tempo. O filho mais novo também encontrou-o quando abriu a geladeira à procura de comida.

O pai, Armand Comb, afirmou ter visto sua filha há dois meses, mas os parentes dizem que ele teve uma convulsão após esse período, e acabou sofrendo com problemas de memória.

Armand Comb

Os vizinhos não descreceram Keyes como uma mãe ruim, e disseram que frequentemente a viam sair com seus outros filhos e cães, mas raramente levava Ayahna para fora.

O vizinho que encontrou a menina se recusou a falar com os jornalistas sobre o que viu.
Não está claro como a menina morreu, mas os resultados da autópsia estão sendo esperados para esta semana.

Fonte: NYDailyNews