Nem todo abusador é pedófilo; saiba a diferença

A pedofilia é descrita pela Organização Mundial de Saúde, na Classificação Internacional de Doenças (CID-10), no item F65, que trata dos Transtornos da Preferência Sexual, como “preferência sexual por crianças, quer se trate de meninos, meninas ou de crianças de um ou do outro sexo, geralmente pré-púberes ou no início da puberdade”. Todavia, nem toda pessoa que abusa sexualmente de uma criança ou adolescente é acometida por este transtorno.

“É perigoso tratar a pedofilia apenas como um desvio de comportamento. A sexualidade tem um caráter circunstancial. Um sujeito pode não ter a criança como objeto fixo de desejo, mas diante da oportunidade pode lhe despertar este desejo e cometer o abuso”, esclarece o psicólogo do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Hélio Cardoso Miranda.

Hélio explica que o pedófilo não é, necessariamente, um doente mental. “Este sujeito, comumente, sabe que o desejo dele é errado e até sente uma certa vergonha disso. Depende de outros fatores para determinar se ele pode ou não responder por este impulso”. O psicólogo destaca ainda que, na análise psicanalítica o desejo sexual sempre tem um caráter inconsciente. “O que o sujeito faz com esse desejo é consciente. Ao praticar o ato ele toma a decisão de fazê-lo”.

Confira dicas de como identificar e prevenir o abuso sexual contra crianças e adolescentes

Por ter consciência que o ato sexual com crianças viola regras sociais, o pedófilo pode jamais cometer um abuso. Somente um indivíduo acometido por algum tipo de doença mental grave, o que não é o caso da pedofilia, pode vir a ser considerado juridicamente inimputável. Vale destacar que pessoas que não sentem qualquer atração sexual por crianças ou adolescentes podem cometer crimes ligados à pedofilia, como a produção e/ou comercialização de material pornográfico envolvendo crianças ou, até mesmo, a exploração sexual de menores.

Profissionais que lidam com o enfrentamento da violência sexual infanto-juvenil são unânimes ao afirmar não ser possível traçar um perfil do abusador. Quem abusa sexualmente de uma criança, segundo eles, é quem está próximo dela, sendo capaz de estabelecer um vínculo de confiança. A maioria dos abusadores é do sexo masculino, mas também há mulheres que cometem este tipo de crime. “Só me recordo de um caso em que uma mulher foi quem abusou, mas sabemos que não é tão raro assim”, revela a ginecologista e médica legista do Instituto Médico-Legal de Belo Horizonte, Maria Flávia Brandão.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/especiais/pedofilia/2012/05/18/noticias_internas_pedofilia,294923/nem-todo-abusador-e-pedofilo-saiba-a-diferenca.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: