Arquivo mensal: dezembro 2013

Pai tortura e estupra próprio filho durante oito meses com a ajuda de um amigo

Do R7

Carl Philip Herold (esq.) e o amigo Charles Dunnavant vão responder pelos crimes de sodomia e abuso sexualReprodução/nydailynews.com

Um garoto de nove anos foi mantido em cativeiro por oito meses pelo próprio pai, Carl Philip Herold, que o torturava e o estuprava diversas vezes com um amigo, Charles Dunnavant. A violência era filmada e fazia parte de uma rede de pornografia no Alabama, Estados Unidos.

Policiais encontraram mais de cem fotografias, mas nem sequer conseguiram reconhecer o garoto, porque as imagens eram insuportáveis, conforme relato ouvido pelo juiz que julgou o caso.

Herold, o pai do garoto, vai responder pelos crimes de sodomia, abuso sexual, abuso de criança, produção e distribuição de pornografia infantil e por colocar o próprio filho em conteúdos pornográficos.

Já Dunnavant é acusado de tortura sexual e sodomia, além de abuso sexual infantil e exposição a DSTs (doenças sexualmente transmissíveis).

Herold, que trabalhava com programação de computadores, havia permitido que Dunnavant se mudasse para a casa da família, o que deu início à rede de pornografia.

O garoto de nove anos não estava matriculado na escola e a polícia acredita que ele foi completamente privado do contato com o mundo externo durante o período em que esteve no cativeiro.

Porto Alegre foi o local escolhido para encerrar a XI Jornada Estadual contra a Violência e a Exploração Sexual de Crianças e de Adolescentes

img414X276_20131129152655jornada8108pr291113 img414X276_20131129152807jornada8114pr291113 img414X276_20131129152847jornada8130pr291113

Jornada contra violência sexual de crianças e adolescentes encerra com anúncio de CRAI em Gravataí

Secretário Fabiano Pereira fez uma breve retrospectiva dos 11 anos da Jornada – Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini

A XI Jornada Estadual contra a Violência e a Exploração Sexual de Crianças e de Adolescentes realizou sua última audiência pública nesta sexta-feira (29) em Porto Alegre. Para marcar a 11ª edição do evento, que este ano tratou do tema da Copa do Mundo, o secretário da Justiça e dos Direitos Humanos, Fabiano Pereira, anunciou as negociações para a implantação de um Centro de Referência de Atendimento Infantojuvenil (CRAI) em Gravataí. O centro concentra atendimentos de saúde, de segurança, psicológico e de assistência social para crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual.

Com representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e integrantes da rede de proteção, a audiência, que ocorreu no Teatro Dante Barone, tratou das formas de prevenção da violência e exploração sexual infantojuvenil durante a Copa do Mundo no Brasil. Durante a abertura, Fabiano Pereira fez uma breve retrospectiva dos 11 anos de jornada. Segundo ele, o objetivo de dar visibilidade ao tema foi alcançado, uma vez que o número de denúncias tem crescido consideravelmente.

O secretário lembrou ainda que a descentralização do CRAI de Porto Alegre foi um dos compromissos da Jornada que está sendo cumprido. Sobre a Copa do Mundo, Fabiano disse que espera que o evento mundialmente conhecido “deixe também um legado social”. Diretora do Departamento de Justiça da Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos, Rubia Abs da Cruz, também avaliou as sete audiências da jornada neste ano. “Foi um processo exitoso e produtivo. Serviu para que todos os municípios começassem a se organizar para prestar o atendimento de saúde às vítimas de abuso sexual, com o Estado passando a cuidar só da perícia”, explicou. Rubia também citou que o Protocolo Estadual construído com as discussões nas audiências públicas será entregue no ano que vem junto com as capacitações do Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes (PAIR).

Integrante da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, o deputado Miki Breier pediu que a luta encabeçada pela jornada não pare e que todos os cidadãos se sintam parte da rede de proteção das crianças e adolescentes. “Temos de continuar o trabalho de conscientização, todos precisam se sentir parte desta rede”, falou. Já a juíza da Infância e da Juventude, Vera Deboni, fez um apelo para que mais CRAIs sejam instalados pelo Estado, principalmente em cidades como Passo Fundo e Santa Maria, que reúnem muitas cidades nas suas comarcas e, consequentemente, mais pessoas a atender. “Reconheço que já houve um avanço com as delegacias especializadas, mas precisa se investir mais”, disse ela.

A expansão da discussão do tema foi a proposta do representante da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS), Jéferson Weber. Segundo ele, a FMSS deve  fazer uma parceria com a Federação Gaúcha de Futebol para levar a pauta da criança e do adolescente para os estádios. Também participaram da abertura da jornada a promotora Denise Vilela, a responsável pelo CRAI de Porto Alegre, Eliane Soares, a defensora pública Marta Tedesco, o representante da Ordem dos Advogados do Brasil Edu Duda Ocampos e a advogada Bianca Garibaldi.

Palestras

A primeira palestra da Jornada foi do jornalista esportivo Maurício Saraiva. Ele contou as experiências vividas nas copas da Coréia do Sul, da Alemanha e da África do Sul, que ele acompanhou in loco. De acordo com ele, havia prostituição infantil em todos esses países, porém, em alguns era mais escondido. “Na África, que assim como o Brasil, tem como característica a pobreza, eram as famílias que exploravam as crianças e as adolescentes. No Japão, quanto mais jovem a criança, mais se pagava por ela. O problema não é o Brasil, o problema é a natureza humana”, revelou ele.

Para o jornalista, o holofote que a Copa trará para o Brasil deve ajudar para ter serviços mais eficazes. “Todos estaremos muito atentos para que as coisas não voltem a ser como eram antes”, finalizou ele.

O encerramento da jornada teve ainda palestras da advogada Bianca Garibaldi, da promotora de Justiça Denise Vilela e da representante do CRAI, Eliane Soares.

Menor denuncia que o padrasto estuprava a irmã de nove anos em Goiás

Do R7, com Rede Record

Homem disse que abusava da filha quando estava bêbado

Uma adolescente de 15 anos procurou o Conselho Tutelar para denunciar que o padrasto, de 32 anos, abusava havia dois anos da irmã, de nove anos, em Aparecida de Goiânia (GO). Ela chegou em casa e flagrou o homem obrigando a criança a colocar a boca em suas partes íntimas.

Segundo a delegada Renata Vieira, a adolescente se trancou no banheiro quando viu a cena e depois obrigou a irmã a contar o que acontecia. A vítima relatou que tinha medo de dizer sobre o assunto e que o pai largasse da mãe ou fosse preso.

A delegada disse que o laudo do IML (Instituto Médico Legal) constatou que não ocorreu penetração nos atos, mas o próprio suspeito confessou que usava a filha para se masturbar. Ele alegou que os abusos ocorreram poucas vezes e quando ele estava alcoolizado.

A mãe foi chamada e alegou não saber de nada. O homem foi preso após o mandado de prisão ser emitido pela Justiça e foi levado ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na última segunda-feira (9).

Câmera de vigilância flagra adolescente espancando bebê dentro de elevador antes de jogá-lo do 25º andar de edifício

Mãe do bebê o deixou acidentalmente dentro do elevador quando tentou pegar bicicleta do lado de fora.

Câmeras de vigilância de um prédio em Chongqing (ou Xunquim), na China, flagraram uma menina de aproximadamente 10 anos de idade pegando um bebê dentro do elevador e espancando-o antes de jogá-lo pela varanda.

Yuanyuan acidentalmente foi deixada no elevador pela mãe, que tentou pegar uma bicicleta da criança quando as portas se fecharam. 
Câmera de vigilância flagra adolescente espancando bebê dentro de elevador antes de jogá-lo do 25º andar de edifício
Pelas câmeras de dentro do elevador é possível ver uma menina segurando a criança por alguns segundos, e depois a colocando no chão, para assim agredi-la fisicamente. Após chegar ao 25º andar, a criança é empurrada para fora do elevador, e em seguida jogada da varanda do edifício.
Yuanyuan foi levada ao hospital na tentativa de sobreviver, mas não resistiu aos graves ferimentos. Não se sabe se a adolescente era conhecida da mãe da criança.

Leia mais em: http://www.techmestre.com/camera-de-vigilancia-flagra-adolescente-espancando-bebe-dentro-de-elevador-antes-de-joga-lo-do-25o-andar-de-edificio.html#ixzz2mc5yyfPT

Pedófilos que usavam testes em escolinhas de futebol para atrair vítimas são presos em Minas

Do R7

Cinco suspeitos de ser pedófilos foram presos durante a realização da “Operação Rede Sexual”, da Polícia Civil. O grupo usava testes em escolhidas de futebol para atrair as vítimas e agia em Belo Horizonte e Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri.

Segundo as investigações, os convites para fazer os testes eram feitos por meio de redes sociais e, durante a “prova”, os garotos interessados em se tornarem jogadores profissionais de futebol eram abusados sexualmente. Porém, o crime só era praticado apenas depois das vítimas pagarem pelo teste.

Os cinco detidos serão apresentados à imprensa na manhã desta quinta-feira (5), na sede do Departamento de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio.

“Saí e perdi a noção da hora”, diz mãe dos bebês encontrados com sinais de abandono no ABC Paulista

Do R7, com Agência Record

Uma das crianças tem seis meses e a outra tem um ano e meioEdu Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

A Polícia Militar encontrou duas crianças que estavam abandonadas dentro de um barraco localizado em uma comunidade em Santo André, no ABC Paulista. A Polícia Civil trata o caso como abandono de incapaz e os pais ainda não foram encontrados.

As crianças, uma de seis meses e outra de um ano e meio, foram encontradas em situação de abandono pelos policiais, com assaduras, pequenos ferimentos, fome e chorando muito.

Um vizinho ouviu o choro das crianças por volta das 18h e chamou a polícia. O barraco foi encontrado aberto e sujo. De acordo com os policiais, não há indícios de que os bebês moravam no local, já que não havia comida, roupas, nem brinquedos de crianças na casa.

A Polícia Civil quer identificar os pais das crianças. O caso foi registrado no 2º Distrito Policial de Santo André e os bebês foram encaminhados ao Conselho Tutelar do Município. Segundo informações passadas pela conselheira responsável pelo caso das crianças, já foi aplicada a medida protetiva de acolhimento, e elas estão em um abrigo na cidade. 

Além disso, apesar de o caso ter sido registrado como abandono de incapaz, a conselheira não descarta a possibilidade das crianças terem sido sequestradas e irá ao local do abandono para conversar com vizinhos, avaliar o barraco e tentar descobrir se há a identificação das crianças na vizinhança.