Arquivo mensal: julho 2013

Em RR, suspeita de agredir filho com fios elétricos se apresenta à policia

Do G1 RR

 
O menino ficou com lesões pelo corpo todo (Foto: Marcelo Marques/ G1 RR)O menino ficou com lesões pelo corpo todo
(Foto: Marcelo Marques/ G1 RR)

A mãe suspeita de agredir o próprio filho de 12 anos se apresentou à polícia na manhã de segunda-feira (22). Na terça-feira da semana passada (16) a criança foi torturada por ela com fios elétricos após ter perdido uma chave, de acordo com denúncia de seu ex-marido, pai do garoto.

Na ocasião, a vítima ligou para o pai pedindo socorro. Quando chegou ao local, o homem encontrou a criança sozinha. A mulher havia fugido de casa com o outro filho de 11 anos.

Acompanhada de uma defensora pública, a mulher compareceu ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente. De acordo com a delegada Maria de Lourdes Duarte Fernandes, a mãe do garoto disse que não tinha justificativa para agredir os filhos ‘naquela proporção’.

“Inicialmente, ela disse que se tratou de um caso isolado. Em seguida, acabou confessando que havia espancado as crianças no dia anterior à agressão com o fio. Ela alegou que o motivo [das agressões] teria sido a desobediência do filho mais velho e o fato de ele não arrumar o quarto como ela gostaria”, informou.

Ainda de acordo com a delegada, ela negou que tivesse intenção de queimar os filhos com água quente, como havia sido dito pelo pai da criança. A mulher disse que apenas havia colocado uma panela no fogo e mandado as crianças irem arrumar o quarto, dando-lhes um tempo para que concluíssem essa ‘tarefa’. Ela afirmou que a água quente era para esterilizar mamadeiras e que seus filhos se equivocaram ao deduzir que era para queimá-los.

Em depoimento, a mãe dos garotos negou que esteja fazendo algum tipo de tratamento de saúde e disse estar bem física e psicologicamente.

Fato novo
As crianças já estão sob a guarda temporária do pai junto com os outros irmãos e, conforme informado por ele, elas já voltaram a frequentar a escola. Conforme a delegada Maria de Lourdes, a mulher vai responder em liberdade pelo crime de tortura. “Se não surgir fato novo e que justifique uma medida cautelar, ela permanece livre”, concluiu.

Bebê achado na rua é chamado de Francisco em homenagem ao Papa

Do G1 BA

Bebê foi encontrado por populares que acionaram a polícia em Salvador, Bahia (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)Bebê foi encontrado por populares que acionaram a polícia em Salvador (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)

O bebê resgatado por policiais das Rondas Especias (Rondesp/BTS), em Itacaranha, subúrbio de Salvador, na noite de terça-feira (23), estava em uma caixa de papelão, segundo relato feito a G1 pelo comandante da equipe. De acordo com o major Mattos, uma viatura do policiamento especializado fazia ronda pela região, por volta das 21h, quando foi parada por moradores.

“[O bebê] chamou a atenção da população que acenou para a viatura. Ele ainda estava com o cordão umbilical. Foi feito o registro na 5ª Delegacia e o bebê levado para o hospital. O interessante é que nós somos uma companhia de policiamento mais pesado, mas não podíamos deixar de atender uma ocorrência dessas”, disse o major.

Bebê foi encontrado por populares que acionaram a polícia em Salvador, Bahia (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)Bebê recebe cuidados médicos (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)

Em uma foto divulgada pela PM, quatro policiais aparecem com a criança, que está internda no Hospital do Subúrbio. “Os policiais deram o nome de Francisco ao menino, por causa do Papa”, contou o major Mattos sobre a sugestão de nome para a criança, que ainda não pode ser registrada até que sejam identificados os responsáveis.

De acordo com o Hospital do Subúrbio, o bebê chegou pesando 1,9 kg, com o cordão umbilical prestes a cair, aparentando ter de três a cinco dias de vida, portando mudas de roupa e sinais de que já teve material sanguíneo coletado, de acordo com o médico plantonista Guilhardes Anjos, que prestou os primeiros atendimentos.

“O bebê chegou ativo, em bom estado de saúde. Passou a noite bem e está se alimentando”, informou o médico por meio de nota. Nesta quarta-feira (24), a previsão é de que ainda no período da manhã, o recém-nascido seja transferido para a Maternidade Albert Sabin, no bairro de Cajazeiras.

  •  

Bebê 'Albertinho' encontrado em caixa de papelão em Salvador, Bahia (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)Bebê ‘Albertinho’ encontrado em caixa de papelão em Salvador (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)

‘Albertinho’
Em março de 2013, um recém-nascido foi encontrado também no subúrbio de Salvador. O menino, que estava com o cordão umbilical, foi localizado por uma equipe da Operação Gêmeos, da Polícia Militar, dentro de uma caixa de sapatos deixada em um ponto de ônibus, no bairro do Lobato.

Inicialmente, o bebê foi levado para o Hospital do Subúrbio e depois transferido para a maternidade Albert Sabin, também em Salvador, onde foi apelidado pela equipe médica de “Albertinho”, em referência ao nome da unidade de saúde.

No dia 24 de abril, o bebê foi transferido para a UTI do Hospital da Criança, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, e segundo informações da unidade de saúde, o garoto veio a falecer no dia 13 de maio, de falência múltipla de órgãos e sistemas, hemorragia pulmonar e insuficiência renal.

Vídeo chocante mostra o perigo de esquecer uma criança no carro

 

CriançaReprodução/Videolog

Vídeo mostra os perigos de deixar alguém dentro de um carro debaixo do sol

Do R7

Um vídeo surpreendente tem chamado a atenção nos Estados Unidos para um acidente relativamente comum: o esquecimento de bebês e crianças dentro de automóveis. Para alertar os pais uma ONG promoveu uma campanha chocante, que mostra os efeitos do calor intenso em um bebê trancado dentro de um veículo.

Apesar das imagens surpreenderem por sua verossimilhança, elas não são reais. A campanha foi encenada por atores e contou com efeitos especiais para simular uma hipertermia na criança, que não se machucou durante as filmagens.

Polícia encontra mãe que abandonou recém-nascido por meio de código de barras, no sul de Minas

Do R7 MG

A Polícia Civil localizou nessa quinta-feira (19) a mulher de 30 anos que é suspeita de ter abandonado o filho recém-nascido em Passos, no sul de Minas.

O bebê foi encontrado nas primeiras horas da manhã do dia 4 de junho, dentro de uma caixa de papelão, no bairro Vila Rica. Segundo a polícia, ele ainda tinha o cordão umbilical e estava envolto em placenta.

As investigações da Polícia Civil sobre o abandono de incapaz partiram da etiqueta de código de barras que estava na caixa onde o bebê foi deixado. Os policiais localizaram a transportadora responsável pela entrega da encomenda e descobriram um endereço em uma cidade próxima a Passos.

De acordo com a polícia, o dono do endereço foi investigado e relações com pessoas de Passos foram descobertas. A partir disso, a Polícia Civil conseguiu identificar a provável mãe do bebê.

Segundo a polícia, a mulher tentou negar ser a mãe, mas a apresentação de provas fez com que ela confessasse. Seu nome está sendo preservado para evitar represálias.

O bebê foi encaminhado para uma família provisória, à espera de adoção, e hoje tem cerca de um mês e meio. A mãe não foi presa, uma vez que não foi pega em flagrante e não havia mandado de prisão aberto contra ela.

Conforme a Polícia Civil, algumas testemunhas ainda serão ouvidas sobre o caso e há a possibilidade de um pedido de exame de DNA para confirmar o parentesco entre a mulher e o bebê.
 

Babá é condenada a nove anos de prisão por abusar de criança no DF

Do R7

 
TJDFT: condenada cumprirá pena inicialmente em regime fechado Divulgação

A 2ª Turma Criminal do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios) manteve a condenação da babá R.M.S. pelo crime de atentado violento ao pudor, por ter abusado sexualmente de uma criança de cinco anos. A criança ficava com a babá, em sua residência, em Sobradinho, região administrativa do DF, enquanto sua mãe ia trabalhar.   

Segundo ficou comprovado no processo, a babá, aproveitando-se dos momentos em que ficava sozinha com a vítima, levava-a para a cama, abraçava-a por trás e a embrulhava em um lençol. Após, retirava a roupa da criança e passava a acariciar sua genitália, com movimentos masturbatórios, introduzindo o dedo médio na vagina da menina. Após, a babá obrigava a menor a acariciar sua genitália.   

 

O Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Sobradinho condenou a babá à pena de dez anos e seis meses de prisão. A defesa recorreu, alegando insuficiência de provas, mas o recurso foi apenas parcialmente aceito para reduzir o tempo da pena.  

 

A pena aplicada pelo juízo a que foi considerada exacerbada e, por isso, foi reduzida pelos desembargadores para nove anos de reclusão, em regime inicial fechado.  

Bebê morre queimado após passar a noite em incubadora com defeito na China

Do R7

 
Imagens divulgadas no site Weibo mostram o corpo queimado do bebê Reprodução/gywb.cn

Um bebê de apenas 12 dias morreu queimado após passar uma noite dentro de uma incubadora que, supostamente, estava com defeito. O acidente fatal aconteceu no Hospital Infantil de Quanzhou, em Fujian, na China.

Imagens divulgadas no site Weibo, mostram membros da equipe do hospital tirando fotos da criança. As imagens, que estão circulando na internet, deixaram milhões de chineses indignados.

O bebê foi retirado da incubadora, onde estava deitado de bruços, com as costas, as pernas e os pés escurecidos e avermelhados pelas queimaduras. Pelo corpo da criança também havia várias bolhas e feridas feitas pelo forte calor.

Segundo informações do tabloide britânico Daily Mail, os funcionários do hospital, incluindo as enfermeiras da ala onde o acidente aconteceu, se recusaram a falar com a imprensa.

Além disso, a mídia chinesa divulgou que todas as imagens de vigilância daquela noite foram eliminadas.

De acordo com o site chinês de notícias Guiyang News, o hospital está se recusando a aceitar a responsabilidade pela morte do bebê.

Corpo de menina morta a facadas por avó é enterrado na zona leste de SP

Do R7

 
Menina de cinco anos foi morta pela avó durante a madrugada Reprodução/Rede Record

O corpo de Gabrielle Figueiredo da Silva, de 5 anos, foi enterrado na manhã desta quinta-feira (18), no Cemitério São Pedro, zona leste da cidade. A criança foi morta a facadas pela avó, na casa onde morava, na madrugada de quinta-feira (17), na Vila Santa Clara, região sudeste de São Paulo,

A costureira Maria Zildenice Figueiredo Lima foi presa em flagrante depois de esfaquear e matar a menina. Ela disse que cometeu crime para “acabar com o sofrimento” da criança. A avó afirmava que a menina estava sendo abusada.

Na terça-feira (16), a mãe da criança compareceu à 1° DDM (Delegacia da Defesa da Mulher), para responder sobre o possível estupro da filha e de seu irmão. A própria avó teria informado a polícia sobre o tal abuso. Depois que as crianças realizaram exames sexológicos — que não constataram os abusos — todos foram para casa.

De noite, depois de uma movimentação, a criança foi esfaqueada pela própria que ainda tentou se matar cortando os pulsos. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas depois de receber curativo e medicação foi liberada. Na delegacia, ela disse que queria acabar com o sofrimento da neta, que estaria “sendo abusada por uma organização criminosa, pelo pai e pelo padrasto”, de acordo com o boletim de ocorrência.

Policiais militares foram chamados, e ao chegar na casa, encontraram a vítima caída no chão do quarto ensanguentada. A menina chegou a ser levada ao Hospital Vitória, mas não resistiu aos ferimentos.

A faca utilizada no crime foi apreendida pela polícia e a casa foi preservada para perícia. O caso foi registrado como homicídio simples no 56° DP.