Crianças desaparecidas desde Outubro estão mortas

 
Crianças desaparecidas desde Outubro estão mortas

Perícia pedida pela família da mãe de Ruth e José Bretón Ortiz, os irmãos de seis e dois anos, concluiu que despojos encontrados entre as cinzas de uma fogueira na quinta dos avós paternos eram das crianças. A polícia tinha dito que eram de animais.

O pai foi detido como suspeito a 18 de outubro, dez dias após o desaparecimento dos filhos. José Bretón sempre disse que tinha perdido as crianças quando brincavam num parque na cidade de Córdoba. A mãe, Ruth Ortiz, defendia que o marido tinha assassinado as crianças como vingança pela sua intenção de se separar dele.

Uma nova análise às cinzas encontradas poucos dias depois do desaparecimento na quinta dos pais de José Bretón, concluiu agora que se trata dos restos mortais das crianças, segundo informações citadas pelo Canal Sur. Apesar de não haver registos de ADN, os peritos (incluindo o codiretor das escavações arqueológicas de Atapuerca) dizem que na fogueira estão os restos de dois menores, de seis e dois anos, acrescenta o El Pais.

O pai tinha dito na altura que tinha queimado roupas, objetos e documentos por causa da rutura com a mulher. A polícia técnica indicou que as cinzas continuam restos de animais – mais especificamente roedores – e afastado a hipótese de serem os menores. Uma vez que seriam necessárias temperaturas muito elevadas para transformar os corpos em cinzas também serviu como argumento para afastar a hipótese de que fosse as crianças. A perícia conclui que foi construído um “forno crematório” com uma chapa e tijolos, que permitira temperaturas superiores a 800 graus.

O pai de José e Ruth denunciou o seu desaparecimento à polícia a 8 de outubro, no parque Cruz Conde, em Córdoba. Antes, as crianças tinham estado na quinta dos avós. Imagens de videovigilância confirmam que os menores nunca estiveram no parque. O pai acabou por ser detido dez dias depois, acusado do desaparecimento forçado dos filhos.

O ministro do Interior espanhol, Jorge Fernández Díaz, disse em conferência de imprensa que, além do novo relatório pericial pedido pela família, a justiça pediu um terceiro. Este concluiu também que os restos encontrados são das duas crianças. Questionado sobre a falha da polícia na primeira avaliação dos restos encontrados na quinta, o ministro respondeu: “Trata-se de saber se os restos são de Ruth e José, não de procurar responsabilidades”. E acrescentou: “Se há um erro numa perícia, esse é um erro científico e não de outro tipo”. Díaz afirmou ainda que já tinha conhecimento dos resultados das novas perícias mas que não divulgou nada para não violar o segredo da investigação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: