Bebê e mãe são assassinados com requintes de crueldade

  
Pâmela e sua mãe, vítimas da insensatez do ser “humano”

Pâmela e sua mãe, vítimas da insensatez do ser “humano”

Esta pessoa pode ser chamada de tudo. Menos de ser humano

Itaberaí/Goiás A crueldade de um pai, principal suspeito apontado pela polícia, terminou com o assassinato de um bebê de sete meses e de sua mãe, uma adolescente de 15 anos. O crime que chocou na noite de sexta-feira (08) a cidade de Itaberaí, localizada a 111 quilômetros de Goiânia, encerrou de forma trágica a vida de uma jovem e a de seu bebê. Josefa Humberlândia Vieira, que completaria 16 anos em março, e Pâmela Eduarda Fernandes Braga, que faria seu primeiro aniversário em maio, foram encontradas mortas às margens da GO-070, a dois quilômetros de Itaberaí. O principal suspeito é o companheiro de Josefa e pai de Pâmela, Winislei Braga Filho (este é o nome que a Polícia Militar tinha na manhã de ontem).

Policiais do 6º Batalhão da PM, na vizinha cidade de Goiás, foram avisados sobre o crime pouco após as 21h30min de sexta-feira. Uma mulher que passava pela rodovia viu os corpos de mãe e filha e avisou a polícia. Pouco tempo depois, Winislei fez contato com a PM para assumir a autoria do crime e dizer que estava arrependido, segundo o major José Roberto Porfírio, subcomandante do 6º Batalhão da PM. O acusado permanecia foragido até o início da noite.

Os corpos de Josefa e Pâmela foram encontrados bem próximos ao trevo que dá acesso ao aeroporto de Itaberaí. A mãe da criança, tinha uma ferida na cabeça, que a PM não soube precisar se foi provocada por um tiro, por um objeto cortante ou por uma paulada. O bebê foi vítima de um golpe na nuca, “Um chute ou uma paulada”, conforme o major José Roberto, e ficou com o rosto desfigurado. A Polícia Técnico-Científica foi acionada e os corpos foram levados para o Instituto Médico-Legal (IML) de Goiânia. “Quem vai poder precisar como mãe e filha foram mortas é a Polícia Técnico-Científica e a Polícia Civil”, diz José Roberto.

As primeiras informações que chegaram à PM são de que uma ameaça de Josefa de terminar o relacionamento teria motivado a fúria de Winislei. Não se sabe, porém, onde os assassinatos aconteceram, se dentro de casa ou às margens da rodovia. A família vivia no Setor Fernanda Parque, um bairro pobre de Itaberaí, onde moram muitos migrantes nordestinos. Josefa era cearense, conforme a PM. Na madrugada de ontem (09), Winislei fez o primeiro contato com a polícia. Teria dito, por telefone, que cometeu o crime, que está arrependido e que iria se entregar.

Ainda segundo a PM, o homem chegou a ligar para a mãe de Josefa, oferecendo o carro para o transporte dos corpos do IML de Goiânia para Itaberaí. À tarde, familiares das vítimas compareceram ao IML e providenciaram a liberação dos cadáveres. O transporte foi feito por uma funerária.

A PM recebeu a informação durante a manhã de que Winislei teria tentado suicídio e que havia sido encaminhado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Mas, no Hugo, ele não deu entrada e, depois, a polícia descartou essa possibilidade. “Ele não se apresentou nem está em nenhum hospital, como nós já checamos”, disse o subcomandante do 6º Batalhão da PM, major José Roberto. A pista que a polícia recebeu é de que um Gol teria deixado os corpos à margem da GO-070 e seguido, então, para Goiânia. Policiais militares tentam prender Winislei desde a noite de sexta-feira, antes mesmo dos primeiros contatos que ele fez com a PM.

A cidade de Itaberaí vive uma onda de violência, com crimes tão chocantes como o dos assassinatos de mãe e filha na noite de sexta-feira. Em outubro do ano passado, um jovem com pouco mais de 20 anos foi arrastado por um carro por três quilômetros, amarrado ao veículo.

Piracanjuba foi palco de um duplo assassinato semelhante. Em fevereiro de 2009, Juliene de Souza Guimarães, de 26 anos, e o filho dela, Nícolas de Souza Guimarães, de 10 meses, foram mortos pelo pai da criança, Marcos César de Oliveira Júnior, com a ajuda do amigo dele, Fernando Fernandes Alves.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: