Arquivo mensal: setembro 2012

Acusado de oferecer bombom e dinheiro à crianças, agride tio de uma delas e é preso na Cohab do Bosque .

aliciamento
Imagem reprodução TV Rio Branco/Jean Antônio

A briga aconteceu na manhã de ontem, 25, no bairro Cohab do Bosque

Após saber que a sobrinha de oito anos estava ganhando quantias em dinheiro, bombons e refrescos em troca de beijos e abraços de um homem que aguardava os alunos a caminho da escola, um senhor, que optou por não ter a identidade revelada, decidiu deixar a criança na escola e conhecer o suposto “aliciador”. Quando tentou falar com o suspeito, o tio da menina foi agredido a pauladas pelo acusado. A briga aconteceu na manhã de ontem, 25, no bairro Cohab do Bosque.

A vítima mostrou à polícia a agressão que sofreu e a mãe da criança disse que há semanas a filha vinha comentando sobre os presentes que ganhava do acusado, que trabalha em uma oficina próximo da escola.

Durante a prisão por lesão corporal, o agressor, José Rubemar de Oliveira, 48 anos, conversou com a reportagem do Jornal O Rio Branco e contou que realmente oferecia balas para as crianças que passavam pela sua oficina, mas simplesmente porque gosta de crianças.

A família da menina de oito anos foi encaminhada ao Núcleo de Proteção à Criança e Adolescente, para formalizar a denúncia contra José Rubemar.

 

Entenda sobre a Síndrome do Bebê Sacudido

Conceito:

Síndrome do Bebê Sacudido é o termo que descreve uma série de sinais e sintomas que ocorrem em conseqüência da sacudida manual vigorosa do bebê, sustentando-o por suas extremidades ou pelos ombros, o que causa forças de aceleração do cérebro dentro do crânio, com conseqüentes lesões.

O grau de dano cerebral depende da quantidade, duração do sacudir e das forças que resultarem em impacto na cabeça. Também é usado o termo Lesão Cerebral por Abuso, por causa da controvérsia que envolve a questão da possibilidade ou não de todos os bebês, com sérios danos cerebrais, a partir da “sacudida”, terem também experimentado trauma de impacto.

Sinais e sintomas:

Variam em um espectro de alterações neurológicas secundárias (irritabilidade, letargia, tremores, vômitos) a primárias (convulsões, coma, estupor, morte). Estas crianças devem receber assistência médica imediata, pois estes traumas com freqüência causam hemorragia e lesão cerebral, ainda que não haja sinais externos de abuso (queimaduras, hematomas, escoriações. fraturas de crânio, fraturas múltiplas).

Fatores de risco:

Além de todo um perfil de maior predisposição já conhecidos na violência à criança (situação de estresse, alcoolismo ou drogadição, pais com baixa idade, crianças debilitadas ou portadoras de deficiência), o choro costuma ser o gatilho mais comum para a ocorrência da Síndrome do Bebê Sacudido.

A criança pequena chora em média de duas a três horas por dia, e 20 a 30% das crianças excedem substancialmente este tempo.

Crianças choram freqüentemente em uma base aparentemente irracional, e podem não responder à tentativa inicial de um pai para os confortar. Chorar fica particularmente problemático entre a sexta semana de nascimento ao quarto mês de vida, o que coincide com a incidência maior da Síndrome do Bebê Sacudido.

Pais e outros provedores de cuidado precisam saber que permitir a um bebe chorar é certo, desde que todas as sua necessidades tenham sido satisfeitas.

Predisposição:

Embora a identificação dos casos de Síndrome do Bebe Sacudido, na maioria das vezes, passe desapercebido em quase todos os serviços de atendimento a crianças, podemos observar que: – o pai biológico é o agressor mais comum; – os namorados das mães estão em segundo lugar; – babás em um terceiro plano; – depois as mães e os padrastos.

Profilaxia:

São importantes as orientações prestadas por profissionais da saúde (pediatras, neonatologistas) aos cuidadores (pais, babás, tios, avós, etc.) quanto aos riscos de se sacudir uma criança. Nunca, nem por brinquedo, por castigo ou por qualquer motivo, um bebê deve ser sacudido.

Aos médicos pediatras cabe lembrar-se dessa síndrome, para quando em atendimentos nas emergências poder reconhecer os seus sinais clínicos, e nos atendimentos de puericultura nos consultórios poder oferecer aos cuidadores (principalmente os de risco), orientações direcionadas aos cuidados com esta síndrome.

(Fonte: Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul)

Babá suspeita de sacudir bebê foi ao salão de beleza depois da agressão

A babá Eliane Vieira Santos, de 31 anos, suspeita de agredir um bebê de três meses, queria sair com o namorado na noite em que a criança passou mal, de acordo com as investigações da Polícia Civil. Segundo consta no inquérito, ela ainda foi ao salão de beleza, mesmo depois de saber que o bebê estava em estado gravíssimo.

O delegado responsável pelo caso, Geraldo Toledo, contou ainda que Eliane demonstrou total frieza durante o depoimento, momento em que negou as acusações. Ex-patrões e vizinhos da família da criança foram ouvidos e afirmaram que ouviram o choro alto do bebê no dia da agressão.

A criança deu entrada no pronto-atendimento de um hospital da capital com crise convulsiva, sintoma da Síndrome do Bebê Sacudido, que acontece quando o bebê, ainda em formação, é sacolejado por um adulto. A agressão pode causar várias lesões cerebrais. Desde então, a menina está em coma e corre o risco de ficar cega e tetraplégica.

A Polícia Civil entrou com o pedido da prisão preventiva de Eliane e aguarda agora a determinação da Justiça. O advogado dela acredita, no entanto, que não há necessidade da medida, já que ela se apresentou voluntariamente à Polícia e tem residência fixa.

Pitbull mata bebê de dez meses na frente da avó

O bebê James Hudson, de apenas 10 meses, passava uns dias na casa dos avós, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, quando Copper, o pitbull da família, atacou o menino.

A avó presenciou toda a cena e, muito perturbada, gritou para pedir socorro ao marido. Quando chegou no quarto, Kent Bowser, avô de James, encontrou a criança com graves ferimentos.

“Eu estava cuidando do jardim quando ouvi a confusão e entrei correndo. Havia sangue por todo lado”, disse o avô ao jornal Daily Mail desta sexta-feira (14-09). Levado a um hospital próximo, o bebê não resistiu e morreu.

Segundo Bowser, o pitbull já havia atacado uma pessoa anteriormente, mas sempre era dócil com o neto. “Espero que a triste história de minha família sirva de lição para outras”, afirmou o avô.

Copper foi levado pela polícia local a um abrigo para cães.

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

Pit bull mata bebê de três meses enquanto jovens pais discutiam a relação

Rayden Eugene Bruce, de apenas três meses, dormia sozinho em um dos quartos da casa, no Texas, nos Estados Unidos, quando foi atacado pelo pit bull de estimação da família. O barulho foi ouvido pelo avô da criança, enquanto os jovens pais do bebê discutiam a relação em outro cômodo do lar.

A polícia, que havia sido chamada para separar a briga física de Jessica Oxner e Barrett Bruce, ambos com 20 anos de idade, acabou ajudando no socorro do bebê. Levada ao hospital mais próximo, a criança não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Segundo informações do jornal Daily Mail desta quarta-feira (26-09), a pedido dos pais da criança, Brody, o cão de quatro anos que atacou o garotinho, foi sacrificado.

Criança jogada de passarela segue internada em estado grave

A criança arremessada pela mãe de uma passarela na avenida dos Andradas na tarde do último sábado (15) permanece internada na UTI do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII com uma lesão grave no fígado. Segundo assessoria de comunicação do hospital, a criança está consciente, respira sem ajuda de aparelhos e seu estado é considerado estável. A mãe da criança, Katlen da Silva, 25 anos, quebrou uma costela e está internada em estado estável no mesmo hospital.

Segundo parentes de Katlen, ela sofre transtornos psiquiátricos e é usuária de drogas. Ainda de acordo com os familiares, ela já tentou se matar outras vezes, mas nunca tinha tentado nada contra o filho.

A Polícia Civil investiga o caso.

Criança morre misteriosamente em hospital de Sabará

Uma criança de sete anos de idade morreu, no início da tarde desta sexta-feira (21), dentro de uma unidade de atendimento médico em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Militar (PM), a suspeita é de que vítima tenha sido espancada.

Conforme a PM, a criança deu entrada na unidade de saúde, que fica no centro da cidade, com várias lesões pelo corpo, levada pela avó. A mulher afirmou que as lesões seriam de catapora, e que havia pegado a criança na noite de quinta-feira (20), com a mãe da vítima.

Apesar das alegações da avó, a médica que atendeu a criança constatou várias lesões pelo corpo da menina.

A perícia foi acionada para para confirmar os fatos.

Fonte: R7