Arquivo mensal: abril 2012

Polícia prende suspeito de abusar sexualmente de filhos e sobrinhos

A Polícia Civil apresentou na manhã desta terça-feira (8) um homem de 35 anos suspeito de abusar sexualmente dos três filhos, duas meninas e um menino, e duas sobrinhas, na casa dele na Vila Romana, em Aparecida de Goiânia. As vítimas têm entre 10 e 18 anos.

Segundo informações da polícia, o suspeito também obrigava a mulher a manter relações sexuais com os amigos dele, além de ter forçado dois menores a ter relação com ela.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Miriam Vidal, o suspeito, que já tinha passagem por corrupção de menores, estava sendo investigado há duas semanas. Segundo a delegada, na casa dele moravam 11 pessoas, das quais oito eram crianças. A polícia ainda investiga a possibilidade de outra sobrinha também ter sido violentada.

A polícia conseguiu chegar até o suspeito por meio de uma denúncia. Segundo a delegada, foi verificado também que havia ocorrências registradas pela esposa dele na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam).

Na segunda-feira (7), a polícia foi até a casa do suspeito e encontrou materiais pornográficos e para magia negra, uma arma, fardas policiais, falsa identidade de polícia civil, munições de uso restrito e permitido, armas brancas além de uma máquina caça-níquel.

De acordo com informações da polícia, no momento da abordagem o suspeito foi encontrado usando roupas íntimas femininas. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Proteção a Criança e Adolescentes (DPCA) e, posteriormente, será levado para a Casa de Prisão Provisória (CPP).

Já as vítimas, foram encaminhadas para fazer exames periciais no Instituto Médico Legal (IML). (veja o video ao lado)

Segundo a delegada, o suspeito responderá pelos crimes de porte ilegal de arma, estupro, contravenção, falsificação de símbolos e selos públicos, ameaça, constrangimento ilegal, receptação de máquinas de caça-níquel e abandono de intelectual, se ficar comprovado que os filhos não estudam.

Mãe é suspeita de ser conivente com estupro da filha de 2 anos em Goiânia

Uma mãe é suspeita de ser conivente com o estupro da filha de dois anos pelo padrasto da criança, em Goiânia. O caso foi descoberto na pediatria do Cais do Setor Novo Horizonte quando a mãe levou a filha com sangramento na vagina.

A médica que atendeu a menina constatou que houve algum tipo de abuso sexual e resolveu mandar a paciente para o Hospital Materno Infantil, onde seria tratada e passaria por exames. Só que a mãe não esperou a ambulância e fugiu, levando a filha.

A Polícia Militar (PM) foi chamada e conseguiu encontrar o padrasto, acusado pela mãe de ter estuprado a garota. Ele foi levado para o 20º Distrito Policial, onde foi feito o flagrante. A mulher também pode responder por ter sido conivente com o abuso. De acordo com a PM, essa não foi a primeira vez que ela foi para a delegacia.

“Houve uma situação que ela estava em um bar e deixou a criança sozinha, quando ela voltou a menina estava com um dos dedos da mão quebrado”, conta o sargento Valdivino do Nascimento.

Segundo o Conselho Tutelar, a menina vai receber cuidados médicos ainda neste sábado (4). “Eu vou levar a criança para o Materno Infantil. Caso o casal seja condenado e não possa ficar com a criança, vamos levá-la para um abrigo até que o juiz decida”, explica o conselheiro Olegário José Maria.

Fonte: G1

Padrasto é preso suspeito de torturar e estuprar dois enteados, em Goiás

Um homem de 27 anos foi preso, na manhã desta quinta-feira (26), suspeito de torturar os enteados, de 5 e 6 anos, e estuprar um deles, em Aparecida de Goiânia. Segundo a delegada Myrian Vidal, da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai), os meninos sofriam castigos como choque nos testículos e queimaduras de cigarro pelo corpo. Um deles teve uma agulhada introduzida no joelho.

De acordo com a delegada, as crianças relataram que o padrasto colocava um fio na tomada e dava choque nas partes genitais quando eles não cumpriam os deveres escolares corretamente ou fazia algo que o desagradava. O irmão mais velho conta que o homem apagava o cigarro no corpo do garoto. Os abusos teriam começado há cerca de seis meses.

Exames do Instituto Médico Legal (IML) comprovoram todas as agressões relatadas pela crianças. “Eles apresentam queimaduras e manchas pretas na região inguinal”, diz Myrian

Estupro
Ao relatar a primeira vez que foi estuprado, o menino mais velho lembrava o dia, o mês e ano. A precisão da data chamou a atenção da delegada, que ao questioná-lo descobriu que o violência aconteceu no dia do aniversário de 6 anos do garoto. “A criança lembrava do fato por ter ganhado uma bicicleta, mas não pode andar porque doía muito”, disse Myrian.

Na delegacia, a vítima do estupro afirmou que, para ele não gritar, o padrasto tampou a boca dele com uma fita adesiva. Ele também contou que teve sangramento durante o dia inteiro. O abuso sexual teria acontecido por duas vezes.

Agulha
A polícia chegou até o padrasto depois que a mãe levou a criança de 5 anos a um Centro de Assistência Integral à Saúde (Cais), reclamando de dores no joelho. Um exame de radiografia constatou um corpo estranho no local e o menino foi levado para o Hospital das Clínicas (HC) para a retirada do objeto. No HC, antes da cirurgia, a mulher fugiu levando a criança.

Os médicos informaram o Conselho Tutelar, que acionou a Depai. Além da criança de 5 anos, com a agulha no joelho, a delegada decidiu ouvir o menino de 6 e tomou conhecimento do caso. Os garotos disseram que nunca contaram nada à mãe.

Em depoimento, a mãe negou ter conhecimento das agressões, mas Myrian Vidal deve indiciá-la por negligência. “É impossível ela não ter percebido, as marcas são muito fortes. As queimaduras por choque chegaram a inflamar”, alega. As crianças estão sob os cuidados de avós.

O padrasto negou os crimes. Em um primeiro momento, segundo a delegada, ele disse se tratar de invenção dos meninos. Confrontado com os exames do IML e Hospital das Clínicas, alegou não saber como as agressões ocorreram. O supeito cumpre prisão preventiva e será indiciado por tortura, com agravante das duas vítimas serem menores de idade, e estupro de vulnerável. Ele está preso na carceragem da Depai.

Fonte: G1

Suspeito de abusos sexuais é preso na cidade de Mata

Nessa quarta-feira (25/04), a Polícia Civil de Mata cumpriu mandado de prisão preventiva ocasião em que prendeu um indivíduo de 40 anos acusado de abusar sexualmente de uma adolescente de 15 anos. O indivíduo era vizinho da vítima e segundo registro policial os abusos vinham ocorrendo há cerca de três anos. Conforme o Delegado de Polícia substituto Alex Edmundo Assmann, as denúncias foram investigadas e a policia representou pela prisão preventiva do acusada que foi aceito pela Justiça local.

Fonte: http://www.pc.rs.gov.br/

SC: homem é preso por estuprar filhas de 6 e 8 anos

Um homem de 31 anos foi preso em Joinville (SC), acusado de estuprar e abusar sexualmente de suas duas filhas, de 6 e 8 anos de idade. A prisão aconteceu na manhã desta terça-feira, enquanto o homem trabalhava num hotel no centro da cidade. Para preservar a identidade das vítimas, a delegada responsável pelo caso, Alessandra Colpani Rabello, preferiu não divulgar a identidade do preso.

Os abusos, conforme a polícia, aconteciam quando as meninas passavam os finais de semana na casa do pai, que é separado da mãe das meninas. O fato chegou ao conhecimento da Polícia Civil através de denúncia feita pela própria mãe delas, após a criança de 8 anos ter delatado os abusos cometidos pelo pai.

Um exame confirmou o estupro da maior, que tem 8 anos. A menina de 6 anos não apresentou lesões provocadas por abuso sexual mas, em depoimento, confirmou que também estava sendo molestada. Além das duas meninas, o estuprador tem mais um filho de 10 anos, que não confirmou ter sido vítima de abuso.

Fonte: Terra

Preso por pedofilia, ex-jogador denuncia abusos no Corinthians

Fabinho Fontes passou a noite de segunda-feira toda chorando em uma cela do 26º Distrito Policial, no Sacomã, na zona sul de São Paulo. Aos 37 anos, o ex-jogador corintiano, promessa de craque na década de 1990, não negou que houvesse abusado sexualmente de uma menina de 5 anos, mas confidenciou aos policiais que, na época das categorias de base do Corinthians, sofreu vários abusos que deformaram o seu comportamento sexual.

O ex-meia está preso desde domingo à noite, pego em flagrante, acusado de estupro de incapaz . A vítima é uma criança de 5 anos, filha de um casal de amigos com quem pegava carona, depois um jogo pelo masters do Corinthians, em Taboão da Serra, periferia de São Paulo.

No 26º DP, Fontes disse que dirigentes do clube sabiam o que acontecia na base, mas nunca fizeram algo para resolver a situação contra os garotos que atuavam pelo Corinthians no início dos anos 90. E que ele foi um dos que sofreram abusos e chacotas dos cartolas.

Fabinho não sabe qual será o seu futuro. Mas não perdoou Sergio Alvarenga, assessor da presidência do Corinthians, que desmentiu qualquer ligação dele com o clube, logo que o caso de abuso veio à tona. O ex-meia foi ontem para o Centro de Detenção em Pinheiros. Se condenado, pode pegar 15 anos de prisão.

Investigação
O assessor da presidência do Corinthians, Sergio Alvarenga, negou que saiba de qualquer informação sobre os supostos abusos contra os garotos da base nos anos 1990. “Em 1995, eu nem era sócio do Corinthians. Nunca estive próximo das categorias de base. Mas, se as acusações contra os dirigentes da época forem realmente verdadeiras, precisam ser apuradas até o fim pelas autoridades policiais”, afirmou.

Atletas acusaram pedofilia no futebol
Pelo menos dois jogadores de futebol acusaram abusos ou assédio sexual em categorias de base de grandes clubes do Brasil, após se tornarem profissionais. Um deles foi o goleiro Marcelo Marinho, hoje no Vitória-ES. Em 2005, pelo Corinthians, ele disse que sofreu assédio de diretor quando defendia o Vasco. Na época dos supostos abusos, o jogador tinha entre 12 e 13 anos.

Dois anos depois, a acusação foi contra um dirigente da categoria de base do Corinthians, que havia trabalhado 30 anos no clube. Em entrevista ao Lancenet!, em 2006, o meia Willian, hoje no Shakhtar, da Ucrânia , afirmou que “todo mundo sabia o que acontecia lá”.

“Nenhum jogador vai falar, mas tenho certeza de que tinha lá. Graças a Deus, nunca fui convidado (para o sítio do diretor da base). E, mesmo que fosse, não iria. Sabia que alguma coisa de ruim podia acontecer”, afirmou o jogador.

Depois das declarações de Willian, o então técnico do Corinthians, Nelsinho Baptista, afirmou que casos de pedofilia no futebol existem desde quando ele jogava, na década de 1970. E disse que o problema é que os clubes não se preocupam em contratar profissionais de gabarito para as categorias de base.

Fonte: Lancepress

RJ: pai é preso acusado de estuprar filha em motel

Um homem foi preso na noite deste domingo acusado de estuprar a filha de 16 anos em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com o comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar (7º BPM), tenente-coronel Gilberto Tenreiro, o suspeito foi detido dentro do motel Primavera após ter sido denunciado pela avó materna da adolescente. “A menina passou um torpedo para a avó dizendo que o pai tinha levado ela para o motel. A avó, indignada, procurou o auxílio da PM, que seguiu para o motel e deu voz de prisão ao pai”, disse o coronel.

Segundo o comandante, os dois estavam dentro do quarto, despidos, e a adolescente estava assustada. A vítima relatou aos policiais que não era a primeira vez que sofria abusos do pai. Ela contou que, durante o Carnaval, já havia sido forçada a ir para o motel com ele.

O homem também foi autuado em flagrante por porte ilegal de armas. “Ao ser interrogado, ele confessou que possuía duas armas de fogo em casa”, disse o coronel Tenreiro.

Conforme o comandante do 7º BPM, a adolescente mora com os pais e a mãe estaria trabalhando na hora do crime. Ainda segundo o coronel, o acusado não apresentava sinais de embriaguez. O caso foi registrado na 74ª DP (Alcântara).

Fonte: Terra